2 eventos ao vivo

It - A Coisa esmaga recordes e é o filme de terror com a maior abertura de todos os tempos

Filme também teve a maior abertura do mês de setembro nos EUA

11 set 2017
15h06
  • separator
  • comentários

Neste fim de semana, não teve para ninguém: " It - A Coisa ", primeira parte da adaptação do livro de terror de Stephen King para os cinemas, arrecadou massivos US$ 123 milhões só nos EUA, tornando-se a maior abertura de um filme de terror, de um filme com classificação R (17 anos) ou de um lançamento de setembro na história do país.

"It - A Coisa" traz Bill Skårsgard no papel do palhaço Pennywise
"It - A Coisa" traz Bill Skårsgard no papel do palhaço Pennywise
Foto: Divulgação/Warner / Guia da Semana

No Brasil, o filme também foi um sucesso e garantiu o primeiro lugar nas bilheterias, bem à frente do segundo colocado (o brasileiro " Polícia Federal - A Lei é Para Todos ", sobre a Operação Lava-Jato). Confira os números:

Brasil - 7 a 10 de setembro

1. It - A coisa (Estreia) - R$ 17.472.000

2. Polícia Federal - A lei é para todos (Estreia) - R$ 7.470.000

3. Emoji - O filme (2ª Semana) - R$ 6.982.000

4. Annabelle 2 - A criação do mal (4ª Semana) - R$ 3.153.000

5. Lino (Estreia)  R$ 1.992.000

6. A torre negra (3ª Semana) - R$ 1.732.000

7. Atômica (2ª Semana) - R$ 1.563.000

8. Dupla explosiva (2ª Semana) - R$ 875.000

9. Como nossos pais (2ª Semana) - R$ 752.000

10. 2:22 - Encontro marcado (Estreia) - R$ 304.000

EUA - 8 a 10 de setembro

1. It - A coisa (Estreia) - US$ 123,100,000

2. De volta para casa (Estreia) - US$ 9,028,222

3. Dupla explosiva (4ª Semana) - US$ 4,850,000

4. Annabelle 2 - A criação do mal (5ª Semana) - US$ 4,000,000

5. Terra selvagem (6ª Semana) - US$ 3,210,200

6. A bailarina (3ª Semana) - US$ 2,500,100

7. Homem-Aranha - De volta ao lar (10ª Semana) - US$ 2,015,000

8. Dunkirk (8ª Semana) - US$ 1,860,000

9. Roubo em família (4ª Semana) - US$ 1,826,425

10. Emoji - O filme (7ª Semana) - US$ 1,060,000

Guia da Semana

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade