PUBLICIDADE

'Queria morrer', diz Luísa Sonza sobre ataques de ódio nas redes

Cantora relatou que já teve crise de pânico em um avião e não conseguiu fazer a viagem

12 mai 2022 10h21
ver comentários
Publicidade

Nesta quarta-feira, 11, Luísa Sonza foi a convidada do programa Saia Justa, no GNT. A cantora falou sobre os comentários de ódio recebidos por ela nas redes sociais que começaram quando tinha 16 anos e postava vídeos de cover no YouTube.

De lá para cá, a intensidade dos ataques foram aumentando e ela chegou ao limite. "Não sabia mais o que fazer, minha mente não aguentava mais. Terapia, remédios, não faziam efeito. Queria morrer."

Com a retomada das atividades na pandemia, Luísa contou que viu esse ódio presencialmente. "Entrei no avião e as pessoas me xingavam. Aluguei um barco no meio do mar e as pessoas me xingavam. Passavam de jet ski me xingando."

Tudo isso acabou gerando nela crises de pânico e ansiedade. Em um momento, quando estava pegando um voo para uma gravação, ela precisou pedir para descer.

"Entrei no avião e o homem colocou uma mala preta do meu lado. E foi para o fundo do avião. Achei que o cara ia me matar. Tive uma crise que me impediu de andar. A aeromoça me ajudou e eu não consegui fazer a viagem, tive uma crise de pânico."

Ela também criou um trauma em relação ao celular. Para gravar o Saia Justa, ela precisou deixar o aparelho guardado e longe.

"Tenho pânico do celular. Ele não pode vibrar e logo acho que é algum problema, alguma crise. Se estivesse com o celular não conseguiria fazer o programa."

Estadão
Publicidade
Publicidade