1 evento ao vivo

Pink lança clipe e internautas veem plágio com hit de Anitta

A cantora norte-americana teria se inspirado em 'Essa Mina é Louca' para seu novo trabalho, 'Beautiful Trama'

22 nov 2017
22h37
atualizado em 23/11/2017 às 08h30
  • separator
  • comentários

A cantora Pink lançou, na última terça-feira (21), o clipe "Beautiful trauma", estrelado por ela e pelo galã Channing Tatum. Mas bastaram algumas horas na web para que o projeto da americana fosse comentado na web por sua semelhança com o clipe "Essa Mina É Louca", lançado por Anitta em janeiro de 2016, dirigido por Giovanni Bianco e com participação de Isis Valverde e Jhama. Entre os detalhes parecidos listadas por fãs da dona do hit "Downtown", lançado em parceria com J Balvin na última segunda-feira (20), estão: a presença de um homem como coadjuvante (Jhama e Channing Tatum), cenas do casal rodopiando e do par romântico sentado com as cantoras servindo, a chegada de uma mulher no clipe e reviravolta no roteiro do clipe e o homem amarrado e letras subindo ao fim do clipe

'Roteiro é igual', opina internauta

No Twitter, surgiram memes e argumentos dos fãs. "Roteiro é igual mano. Foi plágio. Se fosse só roupa e conceito, beleza, mas ela copiou o roteiro", argumentou um internauta. "Direção criativa do clipe de Essa Mina é Louca foi feita por Giovanni Bianco, diretor renomado que já trabalhou com Madonna. Pink pode até não saber quem é Anitta mas o(a) diretor(a) do clipe dela pode muito bem ter pego referência. Só não vê semelhança quem for cego!", escreveu outro citando a rainha do pop, cuja visita ao Rio de Janeiro agitou a web. "Seja lá quem for que produziu o clipe da Pink, é plágio da Anitta sim", opinou outra fã. Confira alguns a seguir:

Anitta se posiciona sobre acusações a Terry Richards

Em meio a acusações de assédio feitas por diversas modelos internacionais ao fotógrafo Terry Richards, diretor do clipe "Vai Malandra", Anitta se posicionou sobre a permanência do trabalho no projeto "Check Mate". Segundo a cantora, ela e sua equipe analisaram o que poderia ser feito juridicamente. "Estudamos todas as possibilidades, que foram além das questões jurídicas, passando também pelo envolvimento emocional, levando em consideração o imenso trabalho digno de todos os artistas e colaboradores que de alguma maneira fizeram este clipe acontecer", afirmou sobre a produção, gravada por ela na comunidade do Vidigal, Zona Sul do Rio de Janeiro. E, apesar de ter repensado o clipe, preferiu mantê-lo: "Esse não é um trabalho de uma pessoa só. Manterei minha promessa aos moradores do Vidigal e aos meus fãs lançando o clipe de "Vai Malandra" em dezembro deste ano. Mostrando um pouco das minhas origens e mais sobre o funk carioca, do qual me orgulho muito de ser representante. Como mulher faço questão de reafirmar que repudio qualquer tipo de assédio e violência contra nós e espero que todos os casos dessa natureza sejam sempre investigados com a relevância e seriedade que merecem".

 

 

PurePeople

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade