0

'Os Dias Eram Assim' passa por mudanças para aumentar a audiência

Supersérie adia fim da primeira fase e terá mudanças de tempo com frequência

17 mai 2017
09h27
  • separator
  • comentários

A baixa audiência e o pouco entendimento do público sobre a Ditadura vão provocar mudanças na supersérie "Os Dias Eram Assim". Com um mês no ar, tem agora a pior audiência das tramas exibidas na faixa das onze somando 16 de média, ao lado dos remakes de "Saramandaia" (2013) e "O Rebu" (2014). Como ganhou novas cenas, a primeira fase do folhetim que vai se passar ainda nos anos 80 irá até o final da semana que vem e não mais até esta sexta (19). Os protagonistas ganharam novos figurinos e caracterização e a produção recebe novos personagens ao avançar nove anos em três mudanças de fase.

Acusado de subversão, Gustavo é preso

Segundo o colunista Daniel Castro, nesta quarta-feira (17), com o primeiro salto no tempo o público vai ver Alice (Sophie Charlotte) e Vitor (Daniel de Oliveira) casados em Miami (EUA) assistindo a Copa do Mundo de 1974 ao lado de Lucas, seu filho com Renato (Renato Góes). Enquanto isso, o rapaz se torna novamente pai: dessa vez de Valentim, fruto do seu relacionamento com Rimena (Maria Casadevall). E Gustavo (Gabriel Leone) vai preso ao lutar contra a repressão militar, acusado de subversão. Quatro anos mais tarde, Alice já terá dado à luz Gabriela (Isabella Koppel). E o casal Renato e Rimena estarão na América Central após morarem na França e África.

Alice volta ao Brasil para enterrar o pai

Quando chegar em 1979, a trama abordará a anistia e o processo de redemocratização. Assim, Gustavo deixa a cadeia e Renato volta para o país ao lado da família. Quem também retorna para o Brasil é Alice, jovem que chegou a parar na capa dos jornais por fazer topless, por conta da morte do pai, Arnaldo (Antonio Calloni). Essa fase vai durar nove capítulos e marca a estreia de vários personagens como Nanda (Julia Dalavia), irmã de Alice que sofrerá com o vírus HIV. Logo na primeira cena, a jovem vai fazer uma tatuagem. Depois, terá sequências de sexo com Ben (Guilherme Prates), seu tatuador, e vai despertar o interesse em Caíque (Felipe Simas), seu primo.

Amaral vira amante de Cora

Ainda nesse período de tempo, o casamento de Monique (Letícia Spiller e Toni (Marcos Palmeira) estará abalado e acaba de vez quando ela foge com o amante, Chico (José Loreto), causando a revolta em Caíque. Em outra ponta, Arnaldo é extorquido por Amaral (Marco Ricca), que se torna amante de Cora (Susana Vieira) ao mesmo tempo em que é investigado por cometer excessos em sua delegacia. As práticas da tortura serão retratadas por Natália (Mariana Lima), que fica com depressão e traumatizada. Alice e Renato só se reencontram durante o comício das Diretas Já, quando a trama terá chegado na última fase, que começa em 1983.

'Vade Retro' é culpada pela baixa audiência

Com tais mudanças, a Globo visa aumentar a audiência e tornar a história mais clara. Grupos de discussão apontaram que o público pouco sabe sobre a Ditadura. Segundo o colunista, nos bastidores a culpa do Ibope baixo é atribuído à "Vade Retro". Nas segundas, após a novela "A Força do Querer", a supersérie marca 23 pontos. Nas quintas, a série marca 19 e joga para a casa dos 12 a história de época.

(Por Guilherme Guidorizzi )

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade