0

'O Outro Lado do Paraíso': Sophia é acusada por Clara de usar trabalho escravo

Patrick (Thiago Fragoso) aconselha a milionária a denunciar a rival para obter o direito às terras com esmeraldas

5 dez 2017
21h30
  • separator
  • comentários

Clara (Bianca Bin) dará mais um passo em sua vingança para destruir Sophia (Marieta Severo) na novela "O Outro Lado do Paraíso". Depois de reaparecer em Palmas ocupando o posto de Embaixatriz da Infância do Tocantins no lugar da ex-sogra que a internou em hospício, a mãe de Tomaz (Vitor Figueiredo) receberá apoio de Patrick (Thiago Fragoso) e também de Mariano (Juliano Cazarré) para acusá-la de usar mão de obra escrava em seu garimpo de esmeraldas.

Clara conhece Mariano e lhe oferece dinheiro

Durante uma visita à casa de Mercedes (Fernanda Montenegro), Clara encontra Mariano e se apresenta. "Do garimpo de esmeraldas, também é o namorado de Cleo (Giovana Cordeiro), não?", pergunta a herdeira de Beatriz (Nathalia Timberg). Ele, que vai ser demitido pela ex-amante a quem exibirá nua para os garimpeiros, diz que não namora mais a neta da mística. "Era. Eu fiz bobagem. Tô desesperado precisando de dinheiro pra mandar pro meu irmão e minha mãe", fala o homem que se relacionou com a vilã. Ao saber de sua história, a jovem rica oferece ajuda financeira, mas ele recusa: "Não posso aceitar. Nem te conheço... Faz assim. Quem me deve esse dinheiro é a Sophia, a dona das minas. Ela tem que me dar ou eu saio de lá. Quero ver se aquela joça funcionar sem mim".

'A primeira que tem que tirar do caminho é a Sophia'

Em conversa com Patrick, Clara garante que Sophia não desistiu de tirá-la de seu caminho e conta o plano sem sucesso da mãe de Gael (Sergio Guizé) em comprar Irene (Luciana Fernandes) para dopar a protagonista novamente. "Mas tem uma coisa séria. A Sophia tentou me dar o mesmo golpe. Conseguiu um remédio psiquiátrico para por no meu suco. Só que a Irene não teve coragem e me avisou. Eu troquei os copos. A Sophia tomou o remédio. Precisava ver como ela ficou", diz. Ela afirma que já pensou em uma maneira de tirar o psiquiatra Samuel (Eriberto Leão) de sua cola, mas o advogado avisa que quem mereça maior parte de sua atenção é Sophia. "Clara, fala tanto em vingança. A primeira que tem que tirar do caminho é a Sophia", diz o Patrick.

'Denuncie a Sophia por trabalho escravo', orienta Patrick

A milionária afirma a Patrick que deseja tirar de Sophia tudo o que ela conquistou sem mérito próprio e o advogado sugere que o garimpo nas terras da família de Josafá (Lima Duarte) não respeitem as normas de trabalho. "Essas minas não seguem as leis trabalhistas. Obrigam os homens a trabalhar por nada. Vamos conseguir provas das condições de trabalho dos garimpeiros... Denuncie a Sophia por trabalho escravo", aconselha o sobrinho de Beatriz. Clara, então, relembra seu encontro com Mariano: "Eu falei com um garimpeiro. Ele estava furioso com a Sophia. Havia um problema de dinheiro, mas ele falou rapidamente... Também suspeito. Só não sabia que isso poderia ser considerado trabalho escravo". "É possível. Sempre fui contra sua vingança. Mas defender esses homens, seus direitos, me faz bem", comemora o rapaz.

Mariano aceita parceria para se vingar de Sophia: 'Dar o troco'

Decididos em seu novo plano, Clara e Patrick procuram pelo líder dos garimpeiros e ele, depois de questionar se as perguntas são para prejudicar sua ex-amante, resolve colaborar com a dupla. "Não vou mentir. Ela me fez muito mal. Quero dar o troco", diz. "Eu também tenho minhas contas pra acertar com ela. Por ela, perdi meu grande amor. Vou te dizer. Esmeralda a gente garimpa com dinamite. Se arrisca e ganha uma miséria", revela Mariano. Patrick, então, conclui que ela pode ser enquadrada por usar mão de obra escrava em suas terras. "O que a Sophia faz pode ser considerado trabalho escravo. É o suficiente para interditar as minas e botar a Sophia na cadeia", garante. Clara se anima: "Interditar as minas. Estancar a fonte de dinheiro que ela tem. E cadeia!".

(Por Carol Borges )

PurePeople

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade