0

'O Outro Lado do Paraíso': júri inocenta Duda

Ex-amante explica que ela não foi culpada por sua queda e que decidiu agir ao saber que ela seria acusada por sua morte

8 jan 2018
14h08
atualizado às 14h36
  • separator
  • comentários

Duda (Gloria Pires) será inocentada na novela "O Outro Lado do Paraíso" depois que Renan (Marcello Novaes) depor a seu favor. O homem que tentará se reconciliar com a ex-amante ao reaparecer na cidade será levado ao tribunal por Adriana (Julia Dalavia) - que se mostrará ressentida com a mãe por ter sido abandonada ainda criança - e afirmará que a dona do bordel não provocou o acidente que o deixou hospitalizado.

'Eu mesmo perdi o equilíbrio. Caí', conta Renan

De acordo com informações do colunista Daniel Castro, a suposta vítima de Duda deixará todos surpresos ao dizer que ela não tentou matá-lo. "No decorrer do julgamento da ré, ela mesma confessou um suposto crime. A sua morte, por acidente. Como explica? A ré acredita que tenha falecido. Mas está aqui, vivo!", destaca Adriana, reconhecida como filha pela cliente no tribunal. O homem explica a situação que Natanael (Juca de Oliveira) usou para ameaçar a nora. "Foi importante na minha vida. Mas breve demais. Ela foi me visitar. Separou-se. Não me conformei, discutimos. Eu tentei beijá-la à força. Ela não permitiu. Eu mesmo perdi o equilíbrio. Caí. Acordei no hospital. A batida de cabeça foi forte. Tive concussão cerebral. Amnésia parcial durante meses. Saí do hospital e soube das notícias da morte da Bete. Por isso, nunca a procurei", depõe Renan.

Adriana pede: 'Senhores jurados, conto com seu senso de justiça'

Renan continua sua fala afirmando que não poderia deixar que a ex-mulher de Henrique (Emílio de Mello) fosse condenada injustamente. "A doutora Adriana me procurou ontem. Contou que Bete poderia ser condenada por... Minha morte. Eu não podia permitir. Vim imediatamente", diz. Adriana, então, afirma que tentaram provar que Duda era culpada pela morte de Laerte (Raphael Vianna) - que, na verdade, foi morto a tesouradas por Sophia (Marieta Severo) - se baseando no crime do passado que agora foi refutado por Renan. "A promotoria tentou passar a imagem da acusada como assassina contumaz. Afirma que matou o primeiro amante, mas ele está vivo. Que a morte do primeiro seria equivalente a uma prova do assassinato do segundo. Mas, desse último, só há provas circunstanciais. Nem a tesoura, considerada arma do crime, tem as impressões digitais da ré. O que se viu aqui foi uma comédia montada pelo senhor promotor para incriminar uma inocente. Senhores jurados, conto com seu senso de justiça", pede a irmã de Clara (Bianca Bin).

Duda tem sua inocência declarada

Nas cenas previstas para irem ao ar dia 26 de janeiro, Gustavo (Luis Mello) voltará de um recesso com os votos dos júri em mãos. Após fazer a contagem, o colega de trabalho de Raquel (Erika Januza) anuncia a decisão. "A ré é considerada inocente", declara.

(Por Carol Borges)

PurePeople

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade