0

'O Outro Lado do Paraíso': Clara sai de casa e pede abrigo a Josafá. 'Ajuda'

Cansada das agressões do marido, a mocinha o expulsa de casa e pede para Renato a levar até o avô

8 nov 2017
21h02
  • separator
  • comentários

Clara (Bianca Bin) vai expulsar Gael (Sergio Guizé) de casa e seguirá para a casa de Josafá (Lima Duarte) na novela "O Outro Lado do Paraíso". Grávida, a mocinha, cansada das agressões e temperamento violento do marido, vai contar com a ajuda de Renato (Rafael Cardoso) para conseguir pedir abrigo ao avô. As cenas previstas para sábado (11) e segunda-feira (13) de novembro foram adiantadas pelo colunista Daniel Castro.

'Vai embora daqui. Agora'

Tudo começa com mais uma ameaça de agressão de Gael. A professora, para proteger o bebê que ainda está em sua barriga, consegue impedir a violência física usando uma faca e expulsa o filho de Sophia (Marieta Severo). "Eu fui criada na pobreza, mas sei que o mundo mudou. A mulher não é escrava do homem. Casar? Casar pra mim é ter um companheiro. Dividir a vida com o homem que eu amo. Não ser uma escrava que pode ser surrada quando diz não. Vai embora daqui. Agora", grita a mocinha.

Clara pede ajuda a Renato: 'Me leva embora daqui!'

Desesperada e já de malas prontas, Clara usa o telefone de Lívia (Grazi Massafera) - cúmplice da mãe para conseguir internar a cunhada em hospício nos próximos capítulos - para pedir que Renato a busque em sua casa. "Sou eu, Clara. A Lívia deixou o celular dela comigo. Renato, preciso da tua ajuda", fala a professora. Preocupado, o médico questiona: "O Gael te bateu de novo?" Ela, então, revela toda a confusão e afirma ter medo do marido: "Não bateu porque não deixei. Sei que é pedir muito, mas não tenho a quem recorrer. Me ajuda?". Na sequência, aparece entrando no carro do funcionário do hospital: "Renato, me leva embora daqui! Pra casa do meu avô". Ele questiona se a mocinha está abandonando o marido e se alegra quando ela confirma positivamente.

Josafá acolhe a neta: 'Isso tudo aqui é teu'

Renato vai com Clara até a casa do comerciante que teve sua morte encomendada por Sophia. "Vô, desculpa te assustar no meio da madrugada. Preciso da tua ajuda, do teu abrigo", declara a gestante. Vendo o choro da neta, Josafá se mostra preocupado com seu estado e procura entender o ocorrido: "Ainda precisa pedir? Isso tudo aqui é teu, Clara. Conta, minha menina, que aconteceu? Cê não é o marido dela. Por que trouxe a minha Clara?" "Vô, nem sei como começar. O Gael me ameaçou", inicia a professora, que não consegue continuar e é ajudada por Renato, que afirma a Josafá que ela era agredida pelo marido. "Sei que o Gael batia em você, Clara. Isso me dá uma raiva. Uma fervura aqui dentro só de pensar. Ele te bateu de novo?", questiona o idoso. Mas Clara o acalma, afirmando que desta vez ele não conseguiu finalizar a violência: "Não, não. Eu não deixei. Tou esperando um filho, vô. Se levasse outra surra podia até perder o bebê. Ele não me bateu dessa vez. Eu peguei uma faca na cozinha. Botei ele pra fora de casa. Defendi meu filho. Então, quando ele foi embora, não conseguia pensar noutro lugar. Só aqui. Na tua casa. Nossa casa".

Sophia abriga Gael e justifica violência: 'Não me obedece'

Enquanto Clara é ajudada por Renato e se lamento junto do avô em Pedra Santa, Gael é recebido pela mãe, incentivadora de suas agressões contra a mulher. Para Sophia, ele garante que não ia encostar na mãe de seu filho e afirma ter ficado violento por culpa dela. "Eu não ia bater, bater. Fiquei meio alterado porque às vezes ela me provoca. Sinto ciúmes. Também, ela não obedece, não assina aquele maldito papel. É como se eu não mandasse na minha casa", diz o homem. A mau-caráter, então, diz que nada de ruim pode acontecer para Clara por causa do filho que ela gera, garantia de que um dia poderão explorar as esmeraldas: "Esse filho une a Clara ao Gael pra sempre. Esse filho é a garantia de que as esmeraldas ainda vêm parar em nossas mãos".

(Por Carol Borges )

PurePeople

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade