0

Jeans e muito dourado no desfile da Chanel em Nova York

Rolou nesta terça-feira (4) o desfile de pré-outono da Chanel. A apresentação, que costuma valorizar o trabalho dos ateliês da marca (responsáveis por todos os detalhes preciosos que fazem parte de um look de alta-costura da maison), já aconteceu em cidades como roma e Dallas, a maison traz sua coleção, inspirada no Egito, para o Metropolitan Musem, em NY, onde se encontra o original Templo de Dendur

5 dez 2018
11h30
  • separator
  • comentários

Aconteceu nesta terça-feira (4) o desfile de pré-outono (Metiers D'Art) da Chanel, no Metropolitan Musem, em Nova York. Já é tradição para a maison realizar o evento de lançamento desta coleção cada vez em uma cidade do mundo, e o show já rolou em Roma, Hamburgo (cidade onde o diretor criativo da marca, Karl Lagerfeld, cresceu) e Dallas, para citar alguns exemplos. Denominado Metiers D'Art, o conceito dessa coleção foi criado para exaltar o ateliers da marca, que fornecem todos os detalhes dos looks da maison. São mais de 25 casas que fornecem cada bordado, renda e acessório das peças da maison. A marca vestiu, recentemente, algumas famosas brasileiras no baile da Brazil Foundation.

A marca se inspirou no Egito para criar a coleção

Em 2018 a marca se inspirou no Egito e fez o primeiro desfile de moda em 30 anos no Metropolitan Musem. O show aconteceu no Templo de Dendur, construção do Egito Antigo que está exposta no museu novaiorquino. Na coleção, bordados ricos em referências religiosas e mitológicas da cultura Egipcia, além de um mix com elementos contemporâneos tanto da moda -- como o look em jeans (uma das tendências da temporada) desfilado por Kaia Gerber -- quanto das artes. Estampas com aspecto de grafite foram uma das estrelas da coleção.

Dourado e muita riqueza de detalhes nos looks

Muito dourado tanto nos looks quanto nos acessórios também marcaram a apresentação, que contou com diversidade tanto no estilo das peças quanto no casting, que contou com a presença do músico e produtor musical Pharrell Williams. No show, clássicos da marca, como o tailleur em tweed e os vestidos de cintura baixa ganharam contraste de opulentos bordados e acessórios em estilo étnico (remetendo, claro, ao Egito), além de elementos contemporâneos do street wear, como os jeans em modelagem oversized e estampas artsy. Em seu último desfile, a marca investiu num clima praiano em pleno Grand Palais, em Paris.

Contraste entre cultura antiga e contemporânea estão no DNA

O contraste entre antigo e contemporâneo também pôde ser visto na beleza, especialmente na maquiagem, que realçou os olhos das modelos com um delineado à la Cleópatra, mas em cores para lá de modernas, como azul, vermelho e branco, no lugar do preto. O cabelo bem preso e as tranças afro (apenas nas modelos negras) também fizeram parte do combo tradição x contemporaneidade que fizeram parte do conceito do show e está, também no DNA da marca. A Chanel tem mais de 100 anos e consegue, até os dias de hoje, se reinventar e continuar sendo desejo entre famosas e fashionistas de todas as idades. O show ainda contou com a presença de famosas queridinhas da grife, como Marion Cotillard, Penelope Cruz, Blake Lively e Margot Robbie, entre outras. Confira tudo em nossa galeria.

(por Deborah Couto)

PurePeople

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade