1 evento ao vivo

Giovanna Antonelli adota meditação transcendental: 'Quero desacelerar'

Capa da revista 'Revista Joyce Pascowitch', atriz disse que conseguiu viajar com a família pela primeira vez. 'Sou casada há dez anos e nunca tinha tirado férias com meu marido. Resolvemos ir para Portugal por quatro meses no ano passado. Falaram que a gente ia enlouquecer e até indicaram uma terapia de casal. A gente se vê muito pouco, só se encontra dez da noite, meia-noite'

13 ago 2018
16h24
  • separator
  • comentários

Giovanna Antonelli não para! São 14 novelas, cinco filmes e, nos últimos dez anos, a atriz se firmou na vida empresarial. No ar como Luzia em "Segundo Sol", ela começou um curso de meditação transcendental para desacelerar. "No último ano coloquei uma meta: não quero mais perder tempo, sabe? Quero desacelerar. Pode ser um processo que leve dez anos, mas vou tentar. Comecei a meditação transcendental há um ano e foi evolutivo para mim. Sou muito controladora, tenho a personalidade forte, e estou aprendendo a dizer não. Para a gente ser essa mulher do século 21, essa pessoa múltipla hoje, tem de estar muito sã, né? Se me ajudou, imagina uma pessoa normal!", falou à revista "Joyce Pascowitch".

Atriz prioriza momentos com a família

Sempre clicada em passeios românticos com o diretor Leonardo Nogueira, com quem tem as gêmeas, Antonia e Sofia, de 7 anos, Giovanna conseguiu viajar com a família pela primeira vez. "Sou casada há dez anos e nunca tinha tirado férias com meu marido. Nunca! Resolvemos ir para Portugal por quatro meses no ano passado. Falaram que a gente ia enlouquecer e até indicaram uma terapia de casal. Mas foi muito bom. É que, por aqui, somos do tipo: 'Amor, será que a gente consegue se encontrar na quarta-feira?'. A gente se vê muito pouco, só se encontra dez da noite, meia-noite. Mas se eu quiser sair, tomar um vinho, namorar... Dormir pra quê?", comentou ela que também é mãe de Pietro, de 13 anos, do relacionamento com Murilo Benício.

Artista aprendeu a valorizar a vida

Giovanna contou também que não tem sonhos materiais. "Acho que o dinheiro só vale para a gente se tratar no caso de uma doença. Às vezes penso em vender o carro, para andar só de táxi. Quando penso em algo, penso numa fotografia, quadro, adoro arte. E também penso nos meus filhos, mas eles nunca pedem nada, de Natal, aniversário, nada! Acabo comprando massinha, geleca...". Sobre o seu lado empresário, ela afirmou: "Sou uma pessoa muito obstinada. Impossível? Não trabalhamos com essa palavra. Não consigo ser paga para fazer um negócio só para ganhar dinheiro. Ir para casa e virar tio Patinhas. O mais legal é fazer dar certo. Tento explorar todos os 'ses'. 'Ah, mas se eu tivesse...'. Eu tentei. Fiz tudo o que eu tive vontade".

(Por Patrícia Dias)

PurePeople

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade