0

Gabriela Duarte relata desafios para educar casal de filhos

Atriz é mãe de Manuela, de 11 anos, e de Frederico, de 6 anos

8 mar 2018
15h30
atualizado às 16h23
  • separator
  • comentários

Gabriela Duarte, prestes a retornar à TV como a forte e rigorosa Julieta na novela "Orgulho e Paixão", próxima trama das seis da Globo, é uma das mulheres que se dividem entre carreira profissional e vida pessoal. Dedicada à família, a filha de Regina Duarte - no ar como a cafetina Madame Lucerne em "Tempo de Amar" - faz questão de acompanhar de perto a rotina dos herdeiros Manuela, de 11 anos, e de Frederico, de 6 anos, frutos do relacionamento com o fotógrafo Jairo Goldfuss, com quem se casou em 2002.

Em entrevista ao Purepeople, Gabriela Duarte, que fez uma participação especial no folhetim das nove "A Lei do Amor", em 2016, relata os desafios de educar os filhos longe de comportamentos machistas, assim como tem feito a artista internacional Angelina Jolie. "Essa é a grande questão do momento. O mundo está mudando com uma rapidez muito grande e eu acho que essa questão toda do feminismo sempre ficou na superfície, nunca se aprofundou muito como está se aprofundando hoje. Eu tenho uma filha mulher e um filho homem, então são dois desafios enormes com as questões de gênero. Como criar uma mulher no mundo de hoje, para ter a força necessária e também a lucidez. E como criar um homem em um momento em que as mulheres estão impondo a sua força", reflete a atriz.

Da mesma forma que fazem o casal Mariana Bridi e Rafael Cardoso com a pequena Aurora, de 3 anos, Gabriela Duarte procura manter conversas sinceras com Manuela e Frederico. "Sou como toda mãe, quero o melhor para os meus filhos. Busco conhecimento quando não tenho e procuro sempre ter muito diálogo e abertura, mas na medida certa. Não é fácil, é complicadíssimo. Talvez a grande dificuldade do ser humano seja criar outro ser humano", diz. "Eu acredito muito nessa geração nova que está vindo. A gente é de uma geração que ficou no meio do caminho entre uma coisa muito patriarcal e, agora, que tem mais abertura. Essa nova geração vem com a cabeça mais aberta e mais segurança no mundo atual. A gente está ainda quebrando a cabeça, tentando entender o mundo", finaliza Gabriela Duarte.

Veja também

O cachorro surdo que aprendeu língua de sinais após ser rejeitado por 5 donos

 

PurePeople

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade