0

Danilo Gentili rejeita apoio de humoristas após condenação

Apresentador condenou apoio de humoristas que antes o criticavam "para agradar movimento político" que o censurou

16 abr 2019
08h53
atualizado às 10h30
  • separator
  • comentários

Danilo Gentili ironizou a sua condenação a seis meses de detenção por ofensas à deputada federal Maria do Rosário durante o seu programa de entrevistas do SBT, o The Noite.

Danilo Gentili ironizou condenação a seis meses de detenção por ofesas à deputada federal Maria do Rosário: 'Ainda estou livre!'
Danilo Gentili ironizou condenação a seis meses de detenção por ofesas à deputada federal Maria do Rosário: 'Ainda estou livre!'
Foto: Divulgação, SBT / PurePeople

Na madrugada desta terça-feira (16), a atração entrou no ar com o nome do titular sendo substituído em cenários e camisetas. "Eu ainda estou livre, o programa ainda é meu", disparou o entrevistador. "Estão tentando me colocar na cadeia, todo mundo já sabe, e obrigado a todos que me apoiaram na internet, nas ruas. Até quem eu menos esperava apareceu na internet e me defendeu, dá uma olhada", completou ele, que já havia protestado contra sua prisão criando a hashtag "GentiliLivre". Em seguida, Danilo mostrou uma foto da parlamentar e a alfinetou: "Muito obrigado pelo seu apoio, Maria do Rosário. E eu nem precisei estuprar ninguém, hein?".

Danilo levou notificação judicial às partes íntimas

Também condenado a indenizar o deputado federal Marcelo Freixo, o humorista fez piada ainda com relação a uma possível detenção. "Meu medo é na hora de me enturmar na prisão. Vou perguntar como o cara chegou lá, ele vai dizer: 'estuprei e matei, e você?'. Eu vou falar: 'zoei uma deputada, Maria do Rosário'. Ele vai dizer: 'ela que te colocou aqui? Que estranho, ela quer me tirar daqui'", cutucou ele, anteriormente envolvido em acusação de racismo, acrescentando que faria seu talk-show direto do presídio. "As pessoas vão na cadeia para eu entrevistar", disse Danilo. O entrevistador foi processado pela deputada e ao receber uma notificação judicial acabou rasgando o documento e o levando, em seguida, às partes íntimas.

Humorista descartou apoio de colegas. Entenda!

Ainda no monólogo, Gentili criticou alguns colegas de profissão que saíram em sua defesa. "Teve aqueles apoios de comediante que quer agradar militância, que defendiam e falavam mal de mim para agradar o movimento político que me censurou. Me lembrou a Chiquinha defendendo o Nhonho", apontou citando personagens do seriado mexicano Chaves, exibido há mais 35 anos pela emissora carioca. "Vou pedir a vocês comediantes que ficam com medinho de desagradar militância política: não me defendam, tá bom? Não precisa", frisou.

Por fim, voltou a fazer piada com a chance de ser detido. "Quem gosta do programa, pode ficar tranquilo: até eu ser preso, vou continuar levando esse p*** toda madrugada", finalizou ele, apoiado por fãs e nomes como Fábio Porchat, Tom Cavalcante e Marcelo Tás, com quem trabalhou no extinto CQC da Band.

Veja também:

 

 

PurePeople

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade