PUBLICIDADE

Justiça arquiva processo de estupro contra Marilyn Manson

Um juiz de Los Angeles rejeito um dos quatro processos movidos contra o artista

16 set 2021 15h38
| atualizado às 16h22
ver comentários
Publicidade
Foto: Divulgação/Loma Vista / Pipoca Moderna

Um juiz de Los Angeles arquivou um dos quatro processos movidos contra Marilyn Manson por agressão sexual, após decidir que a acusadora do artista de 52 anos, identificada como Jane Doe (pseudônimo), fez alegações que "não são suficientes para invocar a regra de descoberta atrasada". Ou seja, não justificam considerar a abertura após o período de prescrição.  

Na ação arquivada, a mulher alegou que Manson a estuprou e abusou sexualmente dela diversas vezes durante seu relacionamento em 2011, mas que ela havia "reprimido" suas memórias até fevereiro deste ano, quando outras mulheres acusaram publicamente o cantor.

O tribunal deu à Jane Doe 20 dias para reabrir o processo com detalhes adicionais.

Marilyn Manson vem sendo acusado de assédio, abuso e estupro desde fevereiro, quando a atriz Evan Rachel Wood ('Westworld'), que é sua ex-namorada, resolveu contar o que sofreu em suas mãos. "Eu cansei de viver com medo da retaliação, difamação ou de chantagens", escreveu Wood em suas redes sociais na ocasião. "Estou aqui para expor esse homem perigoso e denunciar as indústrias que o permitem agir, antes que ele arruíne outras vidas. Eu estou ao lado das muitas vítimas que não vão mais se silenciar".

Após a denúncia de Wood, outras mulheres se manifestaram. E, como resultado, Manson enfrenta outros três processos — por abuso sexual, agressões e assédio — movidos pela atriz Esmé Bianco (de 'Game of Thrones'), pela modelo e ex-namorada Ashley Morgan Smithline e por sua ex-assistente Ashley Walters.

Pipoca Moderna Pipoca Moderna
Publicidade
Publicidade