PUBLICIDADE

Gil do Vigor sofre ataque homofóbico: "Providências serão tomadas"

14 mai 2021 20h54
| atualizado às 21h03
ver comentários
Publicidade
Foto: Divulgação/Sport Club de Recife / Pipoca Moderna

O ex-BBB Gilberto Nogueira, o Gil do Vigor, sofreu o primeiro ataque homofóbico após sair do reality show da Globo. Áudios que pertenceriam a um conselheiro do Sport Club do Recife, Flávio Koury, vieram à tona nesta sexta (14/5) com palavrões e muitos comentários preconceituosos contra a passagem de Gil pelo estádio do time de futebol.

Enviados pelo deputado Romero Albuquerque (PP) ao Blog de Jamildo, os áudios criaram comoção nas redes sociais e originaram campanhas pela expulsão do conselheiro do clube. A hashtag #ForaKoury e a frase "Gil merece respeito" rapidamente ficaram entre os assunto mais comentados desta sexta no Twitter.

O próprio Gilberto se manifestou por meio de sua conta oficial, afirmando que providências serão tomadas. "Primeiro ataque homofóbico que me deparo após o BBB e posso garantir, ainda machuca MUITO! Mas sigo firme e providências serão tomadas", ele escreveu.

O brother pernambucano, que revelou ser rubro-negro durante o reality show, foi convidado a conhecer o clube e até ganhou uma camisa personalizada do Sport, num passeio postado em tempo real nas redes sociais do time, que também rendeu reportagens em vários veículos de comunicação. Koury ficou revoltado.

"1,2 milhões de visualizações. Arretado! 1,2 milhões de pessoas achando que o Sport só tem viado, só tem bicha. Vai vender é camisa. A viadagem todinha vai comprar… Vai ser lindo!", disse o conselheiro num de seus arroubos.

Koury se mostrou especialmente revoltado porque, durante o passeio pelo estádio Ilha do Retiro, Gil fez a dancinha "tchaki tchaki", que virou sua marca no reality show.

"Se ele tivesse feito essa dancinha na casa dele ou no bordel, eu não estava nem aí. Foi dentro da Ilha do Retiro, né, rapaz? Isso é uma desmoralização! Isso é ausência de vergonha na cara. É isso que estamos vivendo. Não tem mais respeito por pai e filho. É a depravação. Isso é o retrato do que o PT deixou pra gente. É exatamente isso", disparou o conselheiro do time em áudio.

Em sua passagem pelo "BBB 21", Gil fez História por se posicionar contra a homofobia e conseguir apoio dos mais diversos púbicos, da comunidade LGBTQ+ até a torcida do Sport.

Ele ainda se manifestou nesta sexta, revelando que vai escrever um livro sobre sua vida com foco no sofrimento causado pela homofobia. "Em um dia como esse - em que fui vítima de um ataque homofóbico - é cada vez mais importante contar minha história. Estava muito animado para contar isso para vocês. E com o que aconteceu hoje, meu livro - que será lançado pela Globo Livros - virou um ato de resistência também", anunciou em seu Instagram.

O Sport Club do Recife também soltou uma nota oficial nas redes sociais, emn que "reitera o carinho, admiração e gratidão de toda a torcida rubro-negra por Gil". A mensgem contém a hashtag #NãoÀHomofobia.

Pipoca Moderna Pipoca Moderna
Publicidade
Publicidade