PUBLICIDADE

DC Comics explica decisão de tirar Robin do armário

12 ago 2021 21h25
| atualizado em 14/8/2021 às 08h45
ver comentários
Publicidade
Foto: Divulgação/DC Comics / Pipoca Moderna

A DC Comics publicou um texto editorial em seu site oficial que explica a decisão de tirar Robin do armário. A sexta edição da revista "Batman: Urban Legends" mostrou Tim Drake, o terceiro personagem a usar a roupa do herói, assumindo-se bissexual.

Na história "Sum of Our Parts", escrita por Meghan Fitzmartin e com artes de Belén Ortega, Robin resgata seu belo amigo adolescente Bernard e, posteriormente, Tim Drake aceita sair em um encontro com o rapaz.

O personagem seria bissexual porque já namorou uma garota, Stephanie Brown, a heroína conhecida como Spoiler e que também já foi Robin (!) e Batgirl. Nisto, Tim Drake copiou Dick Grayson, o primeiro Robin, que namorou Barbara Gordon, a Batgirl original.

No texto publicado no site da DC, o colunista Alex Jaffe destaca a importância de ter um personagem como Robin, que sempre foi associado a um subtexto LGBTQIA+, assumir-se abertamente queer.

"É um momento sobre o qual continuaremos falando e celebrando por anos. O momento em que os fãs LGBTQIA+ foram, não através de subtextos ou de um 'ponto de vista' mais permissivo, mas aberta e textualmente apoiados pela primeira vez desde que Kate Kane foi expulsa do exército. O momento em que um Robin, particularmente um Robin com história, legado e décadas de leituras com codificação queer em seu cinto de utilidades, recebeu a permissão de ser o ícone queer que sempre foi".

Apesar da declaração, vale lembrar que foi Dick Grayson, o Robin original, que virou alvo de piadas homofóbicas pela forma como foi retratado na série do Batman dos anos 1960. E na época a resposta da DC foi ressaltar sua virilidade com parceiro sexual de muitas heroínas dos quadrinhos. De fato, o ex-Robin que virou Asa Noturna se tornou o maior "garanhão" da editora.

"Expressar-se plenamente com uma traje colorido enquanto você escondia sua identidade do mundo já foi considerado escandaloso em uma nação amplamente homofóbica", lembrou Jaffe no texto divulgado pela DC, considerando que foi por isso que a própria editora passou a censurar temas relacionados à comunidade queer durante décadas.

A boa notícia é que a história romântica de Tim Drake continuará, na edição 10 da revista "Batman: Urban Legends", tanto quanto herói e como um homem apaixonado por outro homem.

"Tim Drake pode ser quem quer que ele queira ser. Por isso, assumir-se em 'Batman: Urban Legends' 6 é tão histórico", oficializou a editora, num tuite próprio.

Pipoca Moderna Pipoca Moderna
Publicidade
Publicidade