2 eventos ao vivo

Caçador de Pokémon em igreja russa pode ficar 3,5 anos preso

O juiz dará a sentença a blogguer, que está sob prisão domiciliar, em 11 de maio.

28 abr 2017
12h12
  • separator
  • comentários

A Promotoria russa pediu nesta sexta-feira três anos e meio de prisão para o blogguer russo Ruslan Sokolovski, que foi detido no ano passado por caçar Pokémon em uma igreja de Ecaterimburgo (Urais).

Imagem de tela do Pokémon Go
Imagem de tela do Pokémon Go
Foto: iStock

"Sinceramente, estou tremendamente surpreso que a promotoria tenha pedido para mim três anos e meio de prisão", respondeu Sokolovski durante a reunião judicial.

Sokolovski, de 22 anos e cuja liberdade foi exigida pela oposição e a Anistia Internacional (AI), não admitiu sua culpa, negou que seja um extremista, como mantém a acusação, e lembrou que seu delito não é "nada violento".

Além disso, apontou que cuida de sua mãe e que se tiver que ficar na prisão por anos, não poderá dar assistência a ela.

A Promotoria acusa o blogger de violar o direito à liberdade de credo, mas também de outras duas coisas: instigar o ódio e de porte ilegal de equipamentos técnicos destinados à captação secreta de informação.

O problema é que as forças de segurança encontraram durante uma revista na casa do acusado uma caneta espiã com câmara oculta incorporada.

O juiz antecipou que dará a sentença de Sokolovski, que está sob prisão domiciliar, em 11 de maio.

No vídeo da detenção de Sokolovski é possível ver como ele joga Pokémon Go em uma igreja em Ecaterimburgo enquanto fala que é "completamente ridículo (...) que alguém possa se sentir ofendido porque outra pessoa caminha com um telefone dentro de uma igreja".

Veja também

Pokémon Go é proibido na China

EFE   

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade