1 evento ao vivo

Nintendo Switch chega à marca de 22,9 milhões de unidades vendidas

Com lucro de US$ 274 milhões, empresa tem melhor período entre julho e setembro em oito anos; japonesa ainda acredita em meta agressiva de vendas pro fim do ano

30 out 2018
11h17
  • separator
  • comentários

A Nintendo anunciou na manhã desta terça-feira, 30, que chegou à marca de 22,9 milhões de unidades vendidas do Nintendo Switch, seu mais recente videogame. Os números fazem parte do resultado financeiro da empresa para o período entre julho e setembro deste ano.

Com lucro de US$ 274 milhões no período, a japonesa teve seu melhor 2º trimestre em oito anos, em alta de 30% na comparação com o mesmo período do ano passado. Já as receitas da empresa entre julho e setembro ficaram na casa de US$ 2 bilhões.

Segundo a empresa, 3 milhões de unidades do Switch foram vendidas ao longo do período entre julho e setembro - o que coloca a empresa bem abaixo da meta de vender 20 milhões de Switch até março do ano que vem. Recém-empossado no cargo de presidente executivo, Shuntaro Furukawa, o quinto presidente da Nintendo na história, disse que a meta era um desafio, mas expressou confiança de que vai alcançar.

Se o Switch não vendeu bem, os jogos, por outro lado, tiveram bom desempenho: entre abril e setembro, a empresa vendeu 42 milhões de títulos, contra 22 milhões no período anterior. Para o final do ano, as expectativas estão altas com o lançamento de jogos da franquia Pokémon, bem como Super Smash Bros e o já lançado Super Mario Party.

Surpreendeu os analistas, no entanto, o fato de que a empresa não forneceu detalhes financeiros sobre o Nintendo Switch Online, seu serviço de partidas pela internet, lançado no último mês de setembro. Segundo Furukawa, "o Nintendo Switch Online começou bem", sem maiores explicações. É um mercado no qual a empresa chegou atrasada - Sony e Microsoft, por exemplo, já o exploram há anos - e que pode render receitas recorrentes à japonesa.

Estadão Conteúdo

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade