1 evento ao vivo

Nintendo Switch chega a 52,5 milhões em vendas e supera Super Nintendo

Lançado em 2017, console da empresa teve 10,81 milhões de unidades comercializadas no último trimestre de 2019; com resultado, japonesa teve seu maior lucro trimestral em 10 anos

30 jan 2020
17h29
atualizado em 31/1/2020 às 15h59
  • separator
  • 0
  • comentários

O Nintendo Switch, atual videogame da companhia japonesa do encanador Mario, chegou à marca de 52,5 milhões de unidades vendidas no final de 2019. Com isso, o misto de console de mesa e videogame portátil superou o Super Nintendo e se tornou o terceiro dispositivo da Nintendo mais vendido da história, atrás apenas do Wii e do Nintendo Entertainment System (NES, ou "Nintendinho" aqui no Brasil).

Lançado em 1990, o Super Nintendo teve 49,1 milhões de unidades vendidas em todo o mundo, com jogos clássicos como Super Mario Bros. 3, Super Mario 64 e Super Metroid.

Os números fazem parte do resultado financeiro da japonesa para o período entre outubro e dezembro de 2019, divulgados na madrugada desta quinta-feira, 30. O bom desempenho do Switch, que teve 10,8 milhões de unidades vendidas ao longo do trimestre, ajudou a empresa a ter seu maior lucro operacional em 10 anos, na casa de US$ 1,54 bilhão de dólares.

Apesar disso, os números ficaram abaixo da expectativa do mercado, que esperava receitas ligeiramente maiores - e por conta disso, as ações da Nintendo operaram com queda de cerca de 4% na bolsa de valores de Tóquio.

Com as vendas, a Nintendo também levou a previsão de vendas do Switch em seu ano fiscal, que se encerra no próximo mês de março, para 19,5 milhões de unidades. Não é uma meta difícil: nos primeiros nove meses do ano, a empresa comercializou 17,8 milhões de aparelhos, entre a versão normal do Switch e o modelo mais simples Switch Lite, que funciona apenas como videogame portátil e é US$ 100 mais barato.

Além do lançamento do Switch Lite, ajudaram a empresa no trimestre os lançamentos de dois jogos da série Pokémon. Outro fator que contou pontos para a empresa foi o fim do ciclo de vida do PlayStation 4 e do Xbox One, de Sony e Microsoft, respectivamente - as duas empresas devem lançar sucessores para os aparelhos ao longo de 2019. De quebra, houve ainda o lançamento do Switch na China, em dezembro, em uma parceria com a Tencent.

Veja também:

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade