1 evento ao vivo

Estúdios poderão ter assinaturas próprias dentro da plataforma de games do Google

Informação foi dada pelo responsável do Google Stadia

10 jun 2019
16h04
  • separator
  • comentários

O Arcadia, serviço de streaming de games do Google, permitirá que produtoras de jogos ofereçam pacote de assinaturas próprios. A informação foi dada por Phil Harrison, responsável pelo projeto, durante uma entrevista para o jornalista Geoff Keighley. Harrison disse que os estúdios devem pensar nos próprios modelos de assinatura no "curto prazo", e que novos anúncios sobre o tema deverão ser feitos em breve.

Ainda não há detalhes sobre quais estúdios podem embarcar no esquema, embora alguns, como a EA, já tenham serviços de assinatura próprios. Harrison acredita que os estúdios maiores, com um grande número de títulos, sejam candidatos ideiais.

Anunciado em março, o Stadia, terá assinatura mensal de US$ 9,99 e fará sua estreia nos EUA e outros 13 países no próximo mês de novembro - a lista não inclui o Brasil. Pelo valor, o jogador terá acesso a parte catálogo do serviço, todos em resolução 4K e 60 quadros por segundo. Vários títulos, porém, terão que ser comprados separadamente. Farão parte do menu Mortal Kombat 11, Assassin's Creed Odyssey, Division 2, Destiny 2 e a trilogia de Tomb Raider.

O catálogo inicial terá pelo menos 31 jogos. São eles: Dragon Ball Xenoverse 2, DOOM Eternal, DOOM 2016, Rage 2, The Elder Scrolls Online, Wolfenstein: Youngblood, Destiny 2, Get Packed (exclusivo), GRID, Metro Exodus, Thumper, Farming Simulator 19, Baldur's Gate 3, Power Rangers: Battle for the Grid, Football Manager, Samurai Shodown, Final Fantasy XV, Tomb Raider Definitive Edition, Rise of the Tomb Raider, Shadow of the Tomb Raider, NBA 2K, Borderlands 3, Gylt (exclusivo), Mortal Kombat 11, Darksiders Genesis, Assassin's Creed Odyssey, Just Dance, Tom Clancy's Ghost Recon Breakpoint, Tom Clancy's The Division 2, Trials Rising, The Crew 2.

Electronic Arts, Capcom e Rockstar também terão títulos, mas ainda não revelaram quais serão.

Estadão

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade