0

E3 2018: Nintendo garante 'Natal do Switch' com Pokémon, Smash Bros e Mario Party

Ao contrário de rivais, empresa deu foco a lançamentos no curto prazo e trouxe caminhão de jogos para o segundo semestre; Yoshi e Metroid foram ausências mais sentidas

12 jun 2018
14h34
  • separator
  • comentários

Se o objetivo da Nintendo na E3 2018 era convencer os jogadores de que vale a pena comprar o console Switch neste segundo semestre, a missão parece ter sido cumprida com tranquilidade. Em conferência realizada pela internet na manhã desta terça-feira, 12, a empresa anunciou um "caminhão de jogos" que chegarão ao mercado nos próximos meses, garantindo aos usuários de seu novo videogame que eles terão muito para se divertir -- o que não aconteceu com seu antecessor, o Wii U. Vale lembrar que, desde março de 2017, o Switch vendeu mais de 17 milhões de unidades e que a meta da empresa é de comercializar mais 20 milhões nos próximos meses. Entre os destaques da conferência, estão jogos como Super Smash Bros Ultimate, Mario Tennis Aces, Super Mario Party e até um novo título da série Pokémon.

O jogo de luta que une os personagens da empresa e de outras companhias de videogames, Super Smash Bros Ultimate, foi o principal destaque da apresentação, que durou cerca de 45 minutos. Previsto para chegar ao mercado em 7 de dezembro deste ano, o jogo contará com 65 personagens diferentes. Entre eles, nomes como Mario, Sonic, Donkey Kong, Snake, Pac-Man, Megaman e Ryu, entre muitos outros. Haverá ainda novas fases e modos. Além disso, Super Smash Bros Ultimate aceitará controles do Game Cube (videogame lançado pela Nintendo no início dos anos 2000) e terá abertura para partidas para vários jogadores, seja online ou localmente.

Outra boa surpresa da companhia japonesa foi Super Mario Party, uma nova versão de sua tradicional série de "games de tabuleiro" -- nele, é possível controlar personagens como Mario, Peach ou Donkey Kong em um jogo de tabuleiro, com minigames muito divertidos. Dessa vez, os joguinhos vão aproveitar todas as possibilidades do Switch, seja a capacidade de sincronizar duas ou mais telas em uma partida só, os múltiplos controles e até a possibilidade de leitura de gestos -- em uma das atividades mostradas, será preciso "imitar um pedal com a mão" para ganhar uma corrida de bicicleta. Sai em 5 de outubro.

Antes dele, veio Mario Tennis Aces, game com os personagens da turma do encanador bigodudo se enfrentando entre raquetadas, redes e bolinhas verdes -- o jogo chega ao mercado em duas semanas. Também houve espaço para um jogo novo de Pokémon, Let's Go Pikachu, que vai aproveitar diversos elementos do hit para celulares Pokémon Go. Entre eles, a possibilidade de capturar criaturas sem precisar batalhar, as batalhas entre treinadores e até mesmo a existência de um controle especial -- junto com o jogo, que sai em 16 de novembro, a Nintendo vai lançar um joystick em formato de pokébola, promessa de boas vendas pela característica de "item de colecionador".

Ecossistema. A Nintendo, porém, não se limitou apenas a anunciar seus próprios títulos, incluindo novidades orientais como Fire Emblem e Daemon X Machina. Ela também abriu espaço para mostrar jogos de outras empresas que estão chegando ao Switch. Foram nada menos que 20 atrações diferentes, a maioria delas prevista para ser lançada no console nos próximos seis meses. A bem da verdade, é preciso dizer que várias delas são relançamentos de jogos que já saíram em outras plataformas -- caso de Dark Souls, Wolfenstein II, Fallout Shelter ou Dragon Ball FighterZ. Outras, no entanto, surpreenderam.

É o caso de Overcooked 2, sequência do divertido e amalucado jogo que simula a vida em uma cozinha de um restaurante, feito para ser desfrutado com amigos em um sofá, previsto para 7 de agosto. Ou ainda de Fortnite, sensação das arenas multiplayer que já passou pelos PCs e pelo celular e agora ganha espaço no console da empresa. Isso para não falar em dois jogos que já haviam sido anunciados anteriormente para o Switch -- FIFA 19, da EA, e Star Link, da Ubisoft.

Ausências. Se houve uma falha, porém, na apresentação da Nintendo nesta E3, foi a de que a empresa não falou de futuro a médio e longo prazo. O fã que quisesse saber o que poderá jogar no Natal do ano que vem, por exemplo, ficou a ver navios -- especialmente pela expectativa com títulos como Yoshi e Metroid Prime, que tinham sido anunciados pela empresa na apresentação do ano passado.

Também faltou ver novidades sobre o Nintendo Labo, divertida linha de acessórios de papelão lançada pela japonesa no último mês de abril -- muitos analistas esperavam de que houvesse uma integração das funcionalidades do Labo com os jogos mais tradicionais da empresa.

Estadão

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade