2 eventos ao vivo

Craque dos games, Allejo foi inspirado em Bebeto, confirma Konami

Icônico jogador 'falso' de International Superstar Soccer teve identidade 'revelada' pela japonesa; outros nomes do jogo também foram identificados como Raí, Romário e Maradona

26 fev 2019
18h31
atualizado às 18h34
  • separator
  • comentários

A empresa japonesa de games Konami pôs fim a um mistério de mais de duas décadas nesta terça-feira, 26: o craque Allejo, melhor jogador da seleção brasileira no game International Superstar Soccer (ISS), lançado em 1994 para o Super Nintendo, foi inspirado no atacante brasileiro Bebeto.

O anúncio foi feito pela empresa por meio de um post no Twitter na conta do Pro Evolution Soccer (PES), game que sucedeu o ISS. A Konami também revelou a identidade de outros craques do jogo. Na seleção brasileira, Gomez é Romário, Fontana é Raí e o zagueiro Paco é Ricardo Rocha. Já na Argentina, a dupla fictícia Redonda e Capitale corresponde a Diego Maradona e Gabriel Batistuta.

Nomes do futebol europeu também foram base para os jogadores de International Superstar Soccer, um game de uma época em que direitos de imagem e 'autenticidade' não eram algo do vocabulário dos jogos eletrônicos. O francês Djorkaeff é Dubois, enquanto o líbero Lothar Matthaus foi representado nos consoles como Kolle. Já o português Luís Figo tornou-se Paz.

É válido dizer que o anúncio só dá caráter oficial a algo que muita gente suspeitou desde os anos 1990. No entanto, vale dizer que Allejo passa por uma transformação nos games seguintes da série, como International Superstar Soccer 64 - ele perde o cabelo e fica careca, o que faz muitos jogadores acreditarem que a inspiração para o craque se torna Ronaldo Nazário (ou Fenômeno).

Cultura pop. A capacidade de ajudar os jogadores a marcar muitos gols em suas partidas fez Allejo ficar eternizado na memória de uma geração - na década passada, ele chegou a virar meme na internet, na linha das frases que também brincavam com o ator Chuck Norris. A onda foi tão grande que ele virou motivo de um documentário falso (ou mockumentary), Allejo Eterno, com narração de nomes como José Trajano e Everaldo Marques. Assista abaixo:

Estadão

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade