0

'Yesterday' é filme sobre a amizade, afirma roteirista

Richard Curtis, autor da história dirigida por Danny Boyle, conta um pouco sobre os bastidores do filme

25 ago 2019
03h11
  • separator
  • 0
  • comentários

LONDRES — Em Yesterday, uma mistura de comédia, música, romance e um pouco de fantasia escrita por Richard Curtis e dirigida por Danny Boyle, um apagão causa mais do que a falta de luz. Quando a energia volta, o mundo sofreu uma amnésia coletiva, e ninguém mais conhece os Beatles. Jack (Himesh Patel), um músico fracassado, vê na falta de memória uma oportunidade e vira sucesso mundial. Para o ator, se acontecesse de verdade, seria uma tragédia.

"O mundo sem os Beatles seria bem mais pobre", disse o ator, mais conhecido pela série EastEnders, em entrevista ao Estado, em Londres. "Não só em termos da música que perderíamos, mas também por causa das dezenas de culturas do mundo que eles colocaram em suas músicas", completou, citando o exemplo das cítaras indianas. O filme estreia no Brasil na próxima quinta.

Mas como foi que o diretor de Trainspotting e 127 Horas se juntou ao roteirista de Quatro Casamentos e Um Funeral, Um Lugar Chamado Notting Hill e Simplesmente Amor? "Assim como Trainspotting, Yesterday também é um filme sobre amizades", disse Curtis.

A atriz Lily James (de Mamma Mia!) faz Ellie, a amiga de Jack que sempre esteve ao seu lado, apoiando sua carreira mesmo quando ninguém prestava atenção em suas músicas - e, sendo este um roteiro de Richard Curtis, na verdade ela sempre foi apaixonada por Jack. Boyle explicou que Trainspotting nunca foi, na sua cabeça, um filme sobre drogas, e sim sobre amigos. "Falávamos muito como as mulheres conseguiam manter as amizades, enquanto as amizades masculinas costumam se desintegrar antes de eles atingirem os 30. E isso faz com que muitos homens sejam solitários. As mulheres sabem da importância dos amigos."

O cineasta, que ganhou o Oscar por Quem Quer Ser um Milionário?, contou que secretamente sempre invejou Curtis e seu talento para a comédia romântica. "Eu o chamo de poeta laureado da comédia e do romance", disse. Os dois tinham colaborado na abertura da Olimpíada de Londres, em 2012, e voltaram ao estádio de Wembley para filmar cenas dos shows de Jack, usando plateia, cenário e equipamento de Ed Sheeran - o músico faz o papel de si mesmo e, compreensivelmente, fica um pouco enciumado com o talento de Jack.

Nenhum dos Beatles sobreviventes participa do filme, mas Curtis escreveu uma carta a Paul McCartney, autor da música Yesterday, perguntando se tudo bem usá-la no título do longa. "Ele me respondeu dizendo que sim, mas que 'Scrambled Eggs' ("ovos mexidos, na tradução), o nome original de Yesterday, era melhor", contou o roteirista, rindo.

No filme, os Rolling Stones, ainda bem, sobreviveram ao apagão - mas o Oasis, não. "Foi uma forma de fazer uma homenagem torta porque o Noel (Gallagher, um dos vocalistas do Oasis) nunca escondeu a influência dos Beatles na banda", disse Boyle. Se tivesse o poder, Danny Boyle escolheria fazer sumir "algum político, obviamente". "Cada um vai ter o de sua preferência", disse.

Para o diretor, a oportunidade foi irresistível não apenas por contar com um roteiro de Curtis. "Era a chance de fazer um filme sobre os Beatles que não é uma biografia", disse. "Para mim, a música é crucial. Eu tenho uma teoria de que a música está no nosso DNA. Não compreendemos ainda, mas eu acredito piamente nisso. E a música e a cultura jovem nos transformaram totalmente desde a Segunda Guerra - e para melhor, apesar das críticas que possamos ter. Nos fizeram pensar no amor em vez do serviço militar. Fazer um filme sobre isso é maravilhoso." O indispensável no mundo de hoje, tal qual no pós-guerra, é a beleza, a criatividade e o amor, como pregavam Paul, John, George e Ringo em Love is All You Need. Por isso, os Beatles são imprescindíveis: eles nos fazem lembrar o melhor do ser humano.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade