2 eventos ao vivo

Podcast | 'O Caso Richard Jewell' e a ética no jornalismo

No 'Depois dos Créditos' desta semana, falamos sobre o novo filme de Clint Eastwood que retrata o caso real da prática do mau jornalismo

17 jan 2020
08h40
atualizado às 15h30
  • separator
  • 0
  • comentários

Qual o poder do jornalismo? Qual a sua importância? Em períodos em que a profissão se mostra tão "descreditada", o podcast Depois dos Créditos discute a ética no jornalismo a partir do novo filme de Clint EastwoodO Caso Richard Jewell. 

Kathy Bates, Sam Rockwell e Paul Walter Hauser em 'O Caso Richard Jewell' (2019)
Kathy Bates, Sam Rockwell e Paul Walter Hauser em 'O Caso Richard Jewell' (2019)
Foto: IMDB / Reprodução

No longa, lançado no início de janeiro (confira a crítica completa aqui), Richard Jewell, um segurança aspirante a policial, vê sua vida virar de cabeça para baixo após evitar que um ataque a bomba cause mais vítimas, mas após uma cobertura jornalística inidônea, passa de herói nacional a principal suspeito do incidente. 

Olivia Wilde em 'O Caso Richard Jewell' (2019)
Olivia Wilde em 'O Caso Richard Jewell' (2019)
Foto: IMDB / Reprodução

Para debater as consequências do mau jornalismo, a importância da profissão, convidamos o mestre em comunicação Vanderlei Dias, que atua há mais de 25 anos na área de comunicação, cultura e educação e que atualmente é professor nos cursos de jornalismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Aperte o play e participe da nossa discussão nas redes com a hashtag #terrapodcast. 

Para se aprofundar no assunto:

Além do filme de Clint Eastwood, outras obras se inspiraram na temática para discutir o jornalismo e a ética na produção. As dicas a seguir foram sugeridas pelo mestre Vanderlei Dias

  • O preço de uma verdade, de 2003

Stephen Glass (Hayden Christensen) é um jornalista que consegue entrar para a equipe principal do jornal The New Republic, de Washington. Entretanto, dos anos em que trabalha na redação, mais da metade dos textos de sua autoria ou foram inventados ou copiados, o que não impede seu crescimento. Porém sua fama vai por água abaixo após sua farsa ser descoberta.

  • A História Verdadeira, de 2015 (disponível na Netflix)

Baseado em fatos reais, o densorado jornalista do New York Times Michael Finkel (Jonah Hill) encontra Christian Longo (James Franco), um criminoso presente na lista dos mais procurados do FBI e que viveu fora dos Estados Unidos por muitos anos usando o nome de Finkel. Baseado nas memórias do próprio Michael Finkel. Uma investigação longa que engloba assassinato, amor, engano e redenção.

  • O Resgate de um Campeão, de 2007

Filho de um lendário comentarista esportivo, o repórter Erik Kernan (Josh Harnett) procura uma grande matéria para alavancar sua carreira. Um dia, ele conhece um morador de rua (Samuel L. Jackson) que afirma ser o grande boxeador Bob Satterfield, famoso na década de 50 e  que todos pensavam já estar morto. Erik acredita ter encontrado nele um grande furo de reportagem e a medida que o tempo passa, os dois tornam-se amigos. Mas com a publicação da matéria, segredos vem a tona e Erik começa a tomar consciência da própria da vida e dos relacionamentos com o filho e com a ex-mulher.

  • Obrigado por fumar, de 2005

Nick Naylor (Aaron Eckhart) é o principal porta-voz das grandes empresas de cigarros, ganhando a vida defendendo os direitos dos fumantes nos Estados Unidos. Desafiado pelos vigilantes da saúde e também por um senador oportunista, Ortolan K. Finistirre (William H. Macy), que deseja colocar rótulos de veneno nos maços de cigarros, Nick passa a manipular informações de forma a diminuir os riscos do cigarro em programas de TV. Além disto Nick conta com a ajuda de Jeff Megall (Rob Lowe), um poderoso agente de Hollywood, para fazer com que o cigarro seja promovido nos filmes. Sua fama faz com que Nick atraia a atenção dos principais chefes da indústria do tabaco e também de Heather Holloway (Katie Holmes), a repórter de um jornal de Washington que deseja investigá-lo. Nick repetidamente diz que trabalha apenas para pagar as contas, mas a atenção cada vez maior que seu filho Joey (Cameron Bright) dá ao seu trabalho começa a preocupá-lo.

  • O beijo no asfalto, de 1981

Baseado na peça homônima escrita por Nelson Rodrigues. Ao presenciar um atropelamento, Arandir, um bancário recém-casado, tenta socorrer a vítima, mas o homem, quase morto, só tem tempo de realizar um último pedido: um beijo. Arandir beija o homem, mas seu ato é flagrado por seu sogro Aprígio e fotografado por Amado Ribeiro, um repórter policial sensacionalista.

  • A Montanha dos sete abutres, de 1951

O repórter veterano Charles Tatum (Kirk Douglas) foi despedido de 11 jornais, por 11 razões diversas. Ele está sem dinheiro, então pede a Jacob Q. Boot (Porter Hall), o dono do jornal local, que lhe dê um emprego e consegue. Seu plano era trabalhar ali no máximo dois meses, mas após um ano não surgiu nenhuma boa oportunidade nem aconteceu nada bem interessante que rendesse uma boa matéria. Tatum sente-se totalmente entediado e sem motivação, então recebe ordem para cobrir uma corrida de cascavéis. Aparentemente seria outra matéria sem o menor atrativo, mas ruma para o local acompanhado por Herbie Cook (Robert Arthur), um misto de auxiliar, motorista e fotógrafo. No meio do caminho param para abastecer o carro e Tatum acaba descobrindo que Leo Minosa (Richard Benedict) ficou preso em uma mina quando procurava por "relíquias indígenas". Tatum sente que esta reportagem pode ser a chance que ele esperava, mas para isto precisa ter controle da situação. Ele transforma o resgate de Leo em um assunto nacional, atraindo milhares de curiosos, cinegrafistas de noticiários e comentaristas de rádio, além de forçar Lorraine (Jan Sterling), a mulher de Leo, a se fazer passar como uma esposa arrasada. Na verdade ela ia abandonar Leo neste trágico momento, mas Tatum a fez ver que ela iria ganhar um bom dinheiro na sua lanchonete quando as pessoas chegassem para ver o acontecia. Para prolongar o circo Tatum reduz deliberadamente a velocidade do resgate de Leo, pois o ideal é que ele que preso por seis dias e não apenas por algumas horas.

  • Conspiração e poder, de 2015

A produtora da CBS Mary Mapes (Cate Blanchett) suspeita que o presidente George W. Bush usou a influência de seu sobrenome e acionou seus contatos para não combater na Guerra do Vietnã. Com a ajuda de uma fonte, ela consegue os documentos necessários para a comprovação da denúncia e leva a história ao ar no programa 60 Minutes, apresentado pelo lendário Dan Rather (Robert Redford). Ao invés de abalar a campanha de reeleição de Bush, no entanto, o que se vê após a exibição é um processo de descrédito das informações que coloca em xeque todo o trabalho da equipe de reportagem.

  • Ausência de Malícia, de 1981

Mike Gallagher é um atacadista de bebidas alcoólicas de Miami cujo pai é um mafioso local. Quando seu pai falece, o FBI entende que ele é o principal suspeito do crime. Mesmo sem ter provas, um promotor vaza uma falsa história de que o rapaz está envolvido no assassinato e a vida do homem começa a desmoronar.

*Sinopses do site AdoroCinema.

Confira os episódios anteriores de Depois dos Créditos

 

Veja também:

 

Fonte: Equipe portal
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade