PUBLICIDADE

Plataforma de streaming Reserva Imovision aposta no cinema autoral

Iniciativa nasce de uma parceria entre a Reserva Cultural e a distribuidora Imovision

20 abr 2021
0comentários
Publicidade

Começa a funcionar nesta quarta, 21, a nova plataforma Reserva Imovision que, como indica o nome, é a associação da rede exibidora Reserva Cultural com a distribuidora Imovision. Por detrás de ambas, está Jean-Thomas Bernardini, um cinéfilo de carteirinha que sempre privilegiou o cinema autoral e independente. Num encontro online com jornalistas para divulgar o lançamento, Jean-Thomas desviou-se do conceito de cinema de arte. Prefere cinema inteligente.

Sua expectativa: "A gente vinha desenvolvendo esse projeto há tempos. Com a pandemia e os cinemas fechados, o público migrou para o streaming. Já existem operadoras de grande porte, espero que não sejamos considerados apenas mais uma. Nosso compromisso com o cinema de qualidade continua. É como o Reserva. queremos ser diferentes". Essa diferença já é evidente desde o início do funcionamento. A Reserva Imovision começa a operar com 250 títulos e, entre eles, muitos, senão quase todos, vieram do circuito dos festivais.

Canções de Amor, de Christophe Honoré, Juan dos Mortos, de Alejandro Brugués, Play e Sem Querer, de Ruben Ostlund. Séries? A Reserva Imovision começa com Mistérios de Paris e Os Luminares. Em maio, será a vez de Berlin Alexanderplatz, a série cultuada de Rainer Werner Fassbinder. Há até uma seção 'proibido para menores', tirem as crianças da sala, com os filmes do argentino, radicado na França, Gaspar Noé - Enter the Void: Viagem Alucinante e Love. Toda semana, a Reserva Imovision promete novos lançamentos inéditos e exclusivos, e o desta quinta, 22, é O Trabalho Dela, de Nikos Labot, da Grécia, que integrou a mostra Descobertas do Festival de Toronto do ano passado.

Uma dona de casa invisível para o mundo. Ela trabalha duro em casa sem obter reconhecimento. A crise econômica a força a buscar um emprego. Vai trabalhar como faxineira num shopping, mas agora executa boa parte das mesmas funções com direitos e salário. Jean Thomas: "Sempre entregamos conteúdo de qualidade para o público, utilizando todas as formas - cinema, DVDs, canais de televisão, plataformas de VOD. Tudo isso e mais a participação em coproduções de filmes nacionais." E o gerente de marketing e novos negócios, Luan Filippo Ondebrock, acrescenta: "Dando continuidade a um trabalho de mais de 34 anos no mercado brasileiro, a Reserva Imovision não será apenas mais um serviço de streaming".

"Queremos ser o ponto de encontro dos apaixonados por cinema, que terão oportunidade de descobrir o melhor do cinema mundial em uma única plataforma. A ideia não é só exibir os filmes, mas garantir a interação por meio de canais de comunicação e debate. E, muito importante, por um preço justo." Os filmes poderão ser alugados pontualmente, por R$ 10,90, por 72 horas. No mês de lançamento, a assinatura anual, com acesso a todo o acervo, será de R$ 211. Somando as novas aquisições e filmes do catálogo, Jean-Thomas espera chegar a mil títulos até o fim do ano.

Mil! Mas ele não desiste das salas, programadas para reabrir no sábado, 24. O Reserva está fechado há mais de um ano. "Acredito no futuro do cinema, que já passou por crises piores. É muito diferente ir ao cinema, numa sala escura, a sensação é outra, insubstituível. Mas, claro, vai depender de como o Brasil se comporta nessa crise sanitária que já causou tantas vítimas." Sobre o catálogo da Reserva Imovision, ele diz: "Sou, antes de mais nada, um espectador. Não assinaria uma plataforma que só tivesse clássicos, ou só filmes novos. É preciso saber equilibrar".

Estadão
Publicidade
Publicidade