0

'Aquarius' disputará vaga no Oscar com outros 15 filmes

5 set 2016
20h57
atualizado em 6/9/2016 às 07h49
  • separator
  • comentários

A honra de ser o representante brasileiro na briga por uma vaga entre os indicados ao Oscar 2017 será disputada por 16 longas-metragens inscritos, entre os quais se destaca Aquarius, do diretor Kléber Mendonça Filho e protagonizado por Sonia Braga, que representou o país no Festival de Cannes.

O filme tem Sonia Braga no papel principal de “Clara”, uma escritora e jornalista aposentada.
O filme tem Sonia Braga no papel principal de “Clara”, uma escritora e jornalista aposentada.
Foto: Victor Jucá/Divulgação

A lista de filmes inscritos foi divulgada hoje pelo Ministério da Cultura, que esclareceu que o finalista será escolhido por uma comissão criada para tal fim e que é integrada por nove especialistas.

Entre os inscritos também estão A Despedida, de Marcelo Galvão; Mais Forte que o Mundo, de Afonso Poyart; O Outro Lado do Paraíso, de André Ristum; Pequeno Segredo, de David Schurmann; e Chatô - O Rei do Brasil, de Guilherme Fontes.

Também disputarão a vaga Uma Loucura de Mulher, de Marcus Ligocki Júnior; Nise - O Coração da Loucura, de Roberto Berliner; Vidas Partidas, de Marcos Schetchman; O Começo da Vida, de Estela Renner; e o documentário Menino 23: Infâncias Perdidas no Brasil, de Belisario França.

A lista é completada por Tudo que Aprendemos Juntos, de Sérgio Machado; Campo Grande, de Sandra Kogut; A Bruta Flor do Querer, de Andradina Azevedo e Dida Andrade; Até que a Casa Caia, de Mauro Giuntini, e O Roubo da Taça, de Caito Ortiz.

O filme que parece partir como favorito é realmente Aquarius, que recebeu críticas elogiosas em Cannes ajudado também pelo sucesso do primeiro filme de seu diretor (O Som ao Redor) e pelo retorno à grande tela, aos 65 anos, de Sônia Braga.

O filme, no entanto, se cercou de polêmica desde que seus protagonistas aproveitaram a exibição em Cannes para fazer um protesto contra o agora presidente Michel Temer, que na semana passada substituiu definitivamente Dilma Rousseff.

Em várias das sessões em que foi exibido no Rio de Janeiro neste final de semana o filme foi aplaudido e ovacionado aos gritos de "Fora Temer".

Fontes do Ministério de Cultura garantiram que tais incidentes não interferirão na escolha do filme que representará o Brasil no Oscar.

Kleber Mendonça Filho, diretor do longa
Kleber Mendonça Filho, diretor do longa
Foto: Victor Jucá/Divulgação

O período de inscrições terminou em 31 de agosto, mas a lista definitiva só foi anunciada nesta segunda-feira após a análise de toda a documentação e do material apresentado por cada postulante.

"No ano passado foram inscritos nove filmes. Este ano é quase o dobro", afirmou o secretário de Audiovisual do Ministério de Cultura, Alfredo Bertini, ao destacar o aumento da produção cinematográfica brasileira e o crescimento do interesse dos produtores por uma indicação ao prêmio mais prestigiado do mundo.

Segundo o Ministério, o vencedor será anunciado no dia 12 de setembro em cerimônia especial na Cinemateca Brasileira, em São Paulo.

Os integrantes do júri, segundo o comunicado, foram escolhidos por seus "currículos robustos" e por "representarem diversos períodos da cadeia produtiva do audiovisual no Brasil".

"Confiamos totalmente na imparcialidade e na capacidade da comissão avaliadora. Será um trabalho difícil porque a safra de filmes brasileiros está excelente", declarou o ministro da Cultura, Marcelo Calero, citado no comunicado.

EFE   

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade