PUBLICIDADE

Orlando Drummond teve uma passagem pouco lembrada pelo cinema

Humorista e dublador, que morreu nesta terça-feira, 27, aos 101 anos, ficou marcado pelo personagem Seu Peru, da 'Escolinha do Professor Raimundo', mas ele já atuou na telona; confira

28 jul 2021 12h39
ver comentários
Publicidade

Orlando Drummond, que morreu nesta terça-feira, 27, aos 101 anos, ficou marcado pelo personagem Seu Peru, da Escolinha do Professor Raimundo, além dos inúmeros personagens que contaram com sua voz ao longo das décadas. O artista, porém, teve uma passagem pouco lembrada pelo cinema, sem grande destaque.

Como ator, fez sua estreia no filme O Rei do Movimento, protagonizado por Ankito em 1954. Foi a primeira vez em que fez um personagem afeminado no cinema, Natanael, dono de uma loja de joias que aparece em apenas duas cenas. Em Angu de Caroço, outro filme de Ankito, lançado no ano seguinte, voltou a interpretar um homossexual, Lulu. Orlando Drummond voltaria às grandes telas no filme O Doce Esporte do Sexo, de Chico Anysio, em 1971. O longa, que traz cinco histórias contadas pelo protagonista, conta com o ator no segundo episódio, A Boca, no qual interpreta um portugugês dono de bar. Novamente, sua aparição é curta, durando cerca de dois minutos.

No mesmo ano, esteve no elenco de Bonga, o Vagabundo, raro filme de Renato Aragão que não foi voltado ao público infantil. Nele, Drummond vive um garçom que não tem falas, mas aproveita para tomar algumas bebidas dos convidados de um noivado, escondido, proporcionando alguns momentos de humor. Orlando voltaria ao cinema somente décadas depois, em 2006, em dois filmes do diretor Ivan Cardoso. No primeiro, Um Lobisomem na Amazônia, vive um secretário de segurança que contracena com Toni Tornado e Nuno Leal Maia. Já em O Sarcófago Macabro, é um sacerdote do Egito antigo.

Estadão
Publicidade
Publicidade