3 eventos ao vivo

Kate Winslet e Saorsie Ronan combinaram entre si cenas de sexo de Ammonite

27 ago 2020
01h40
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Foto: Divulgação/Neon / Pipoca Moderna

A atriz Kate Winslet revelou que se entendeu pessoalmente com Saoirse Ronan para filmar, sem ajuda ou orientações do diretor, as cenas de sexo lésbico do filme "Ammonite", que terá sua première mundial em setembro no Festival de Toronto. Combinar como fariam sexo foi uma forma que as duas encontraram para se manter seguras e trabalhar sem maiores interferências durante as filmagens.

Elas interpretam, respectivamente, a paleontóloga Mary Anning e a geóloga Charlotte Murchison no longa do diretor Francis Lee ("O Reino de Deus"), que imagina um envolvimento romântico entre as duas celebradas cientistas britânicas. Celebradas atualmente, claro, porque na época, como todas as mulheres do século 19, à exceção da Rainha Vitória, eram menosprezadas pela comunidade científica masculina.

As cenas de amor entre as duas têm sido descritas como quentes. Segundo a revista The Hollywood Reporter, que entrevistou as atrizes, as filmagens seriam capazes de fazer "Carol" parecer uma obra pudica. Um desses enlaces, em especial, teria teor quase explícito.

"Saoirse e eu coreografamos a cena nós mesmas", explicou a atriz, sobre a sequência mais sexual.

"Acho que Saoirse e eu nos sentimos realmente seguras. Francis estava naturalmente muito nervoso. E eu apenas disse pra ele: 'Ouça, nos vamos nos resolver'. E assim fizemos. 'Vamos começar aqui. Faremos isso com os beijos, peitos, você vai lá embaixo, aí você faz isso, aí você sobe aqui'. Quer dizer, marcamos as batidas da cena para que fôssemos ancoradas em algo que apoiasse a narrativa. Eu me senti mais orgulhosa do que jamais senti ao fazer uma cena de amor. E me senti, de longe, a menos constrangida", acrescentou.

Já Ronan diz que as "performances são incrivelmente humanas".

As duas se conheciam apenas superficialmente antes de "Ammonite". "Obviamente, ela é incrivelmente talentosa, mas também é alguém com quem você sente que pode se identificar, e acho que isso diz muito sobre o tipo de pessoa que ela é", contou a atriz ao THR.

Winslet acrescentou que não se preocupou com a possibilidade de ter seu corpo comparado ao de Ronan. "Tenho quase 45 anos e Saoirse tem quase metade da minha idade. É ter a oportunidade de ser meu verdadeiro eu com 40 e poucos, pós-filhos, sabe? As mulheres não têm realmente coragem de fazer isso", considerou.

Ela, inclusive, deixou se acabar um pouquinho para as filmagens, fazendo o oposto do que normalmente faria, especialmente considerando a necessidade de aparecer nua.

"É assim que sou agora, e não é o corpo que eu tinha há 20 anos. E também trabalhei para manter esse tipo de peso para Mary. Há uma coragem nela, há um peso para ela. Mudei um pouco meu exercício. Eu me certifiquei de não perder peso - o que eu faço muito, na verdade, em filmes. Eu odeio falar sobre peso, mas só digo no contexto de ter sido um esforço consciente da minha parte, para realmente ter certeza de que não mudei para ficar nua. Eu fiz o oposto", completou.

Fãs de Kate Winslet devem lembrar que ela começou sua filmografia num drama sobre relacionamento lésbico, "Almas Gêmeas". Lançado em 1994, quando a atriz tinha 19 anos, o filme foi assinado por um cineasta ainda em começo de carreira, um certo Peter Jackson (ele mesmo, da trilogia "Senhor dos Anéis"), e se tornou cultuadíssimo.

O burburinho sobre sua volta à temática LGBTQ+ vem crescendo desde que "Ammonite" foi selecionado para debutar no Festival de Cannes, que infelizmente foi cancelado devido à pandemia de covid-19. Até o momento, apenas os programadores de festivais viram a produção, tecendo muitos elogios.

O trailer foi divulgado na terça (26/8) sem qualquer cena imprópria, mas muitos olhares, toques e suspiros.

A trama se passa em 1840 e começa quando um geólogo aristocrata, preocupado com a melancolia de sua jovem esposa, pede para a já famosa, mas não reconhecida paleontóloga, ocupá-la com trabalho. Relutante, a paupérrima Mary Anning aceita Charlotte Murchison como assistente, e entre a coleta de fósseis à beira-mar e os passeios na praia, aos poucos as duas deixam de lado as diferenças sociais para aprofundar laços, até despertarem uma paixão.

Embora as duas mulheres realmente tenham passado uma temporada trabalhando juntas, não há registros oficiais desse romance.

"Ammonite" é o segundo longa escrito e dirigido por Francis Lee, que estreou em 2017 com outro longa de temática LGBTQ+, "O Reino de Deus".

Após a première no Festival de Toronto, a expectativa do estúdio Neon é realizar um lançamento em novembro nos cinemas americanos. O filme é a aposta do estúdio ao Oscar 2021. Vale lembrar que o Neon lançou o vencedor de 2020, "Parasita", nos EUA. Por enquanto, não há previsão para o Brasil.

Se não viu o trailer antes ou deseja revê-lo, confira logo abaixo - sem legendas em português.

Veja também:

Barack Obama quer que Drake o interprete em filme biográfico
Pipoca Moderna Pipoca Moderna
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade