PUBLICIDADE

Globo de Ouro elege 'Ataque dos Cães' e 'Amor, Sublime Amor'

Sem transmissão do evento, os premiados na 79ª edição do Globo de Ouro foram revelados nas redes sociais

10 jan 2022 04h54
| atualizado às 07h33
ver comentários
Publicidade
Filme 'Ataque dos Cães'
Filme 'Ataque dos Cães'
Foto: Divulgação/Netflix / Pipoca Moderna

Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood (HFPA, na sigla em inglês) anunciou neste domingo, 9, os vencedores da 79ª edição do Globo de Ouro. Sem transmissão do evento, os premiados foram revelados nas redes sociais, com destaque para dois filmes.

'Ataque dos Cães' conquistou três Globos de Ouro: Melhor Filme de Drama, Ator Coadjuvante (Kodi Smit-McPhee) e Direção (ambos de Jane Campion). O western estrelado por Benedict Cumberbatch conta a história de um cowboy que reluta em aceitar a própria homossexualidade e atormenta a esposa do irmão e o filho gay dela.

A versão de Steven Spielberg para o clássico da Broadway dos anos 1950 'Amor, Sublime Amor' também levou três prêmios, dominando a categoria Comédia ou Musical: Melhor Filme, Atriz (a estreante Rachel Zegler) e Atriz Coadjuvante (Ariana DeBose).

Já os Melhores Atores de Drama foram Will Smith, por "King Richard - Criando Campeãs", e Nicole Kidman, por 'Apresentando os Ricardos'.

As categorias televisivas foram dominadas por duas séries da HBO. Em Drama, o destaque foi 'Succession'. A produção ficou com os troféus de Melhor Série de Drama, Ator (Jeremy Strong) e Atriz Coadjuvante (Sarah Snook). Mas o prêmio mais importante foi conquistado por MJ Rodriguez. Vencedora como Melhor Atriz por 'Pose' (do canal FX), ela se tornou a primeira trans a vencer um Globo de Ouro.

Entre as comédias, 'Hacks', da HBO Max, venceu como Melhor Comédia e Atriz (Jean Smart).

Desprestigiado por Hollywood, o Globo de Ouro aconteceu na noite de domingo em Los Angeles sem tapete vermelho, artistas ou presença da imprensa.

Segundo apurou a revista Variety, a HFPA até chegou a contatar alguns famosos para participarem da apresentação de prêmios, mas praticamente todos recusaram. Emissoras ao redor do mundo, incluindo a norte-americana NBC e a brasileira TNT, já tinham cancelado a transmissão do prêmio pela TV.

Apenas Jamie Lee Curtis teve a coragem de apoiar publicamente o evento. Ela fez uma participação gravada e publicada nas redes sociais do Globo de Ouro durante a premiação, citando o empenho humanitário da HPFA.

"Por muito tempo, eu não percebi que a Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood era, na verdade, uma organização de caridade e usavam os fundos gerados pela transmissão do Globo de Ouro para financiar incríveis programas na nossa comunidade. Eles financiam criadores, educadores e instituições de aprendizado e preservação", disse ela. "E eles fazem de um jeito muito sutil, sem estardalhaço. Eu quero honrá-los e ficar junto deles."

A premiação sem entrega de prêmios foi um esforço para melhorar a imagem do Globo de Ouro, já que, diante das dificuldade, a HFPA aproveitou para convidar apoiadores de suas atividades beneficentes, com o objetivo de destacar o aspecto filantropo da organização.

A decisão de tirar a premiação da TV integrou o boicote de vários setores de Hollywood contra a HFPA, após o jornal Los Angeles Times publicar uma reportagem reveladora. Além de denunciar que a organização não tinha integrantes negros, a publicação também trouxe à tona acusações de histórico sexista e falta de ética dos responsáveis pelo Globo de Ouro, levando ao questionamento da honestidade da premiação.

Por conta disso, a HFPA se comprometeu a mudar, abrindo vagas para novos membros e mudando várias de suas regras, incluindo a adoção de um manual de ética. Poucos levaram fé nas promessas e o boicote ao evento foi mantido.

Após os esforços iniciais para se renovar, a organização aprovou seis integrantes negros em 1 de outubro - um resultado pífio, que tornou os eleitores do Globo de Ouro apenas 5,7% mais diversos que no ano passado.

Confira abaixo a lista completa dos vencedores.

Cinema

Melhor filme (drama)

'Ataque dos Cães', de Jane Campion

Melhor filme (comédia ou musical)

'Amor, Sublime Amor', de Steven Spielberg

Melhor animação

'Encanto'

Melhor roteiro

Kenneth Branagh, por 'Belfast'

Melhor direção

Jane Campion, por 'Ataque dos Cães'

Melhor trilha sonora

Hans Zimmer, por 'Duna'

Melhor canção original

Billie Eilish por 'No Time to Die', de 'Sem Tempo para Morrer'

Melhor ator (drama)

Will Smith, por 'King Richard: Criando Campeãs'

Melhor atriz (drama)

Nicole Kidman, por 'Apresentando os Ricardos'

Melhor ator (musical ou comédia)

Andrew Garfield, por 'Tick, Tick Boom!'

Melhor atriz (musical ou comédia)

Rachel Zegler, por 'Amor, Sublime Amor'

Melhor ator coadjuvante

Kodi Smit-McPhee, por 'Ataque dos Cães'

Melhor atriz coadjuvante

Ariana DeBose, por 'Amor, Sublime Amor'

Melhor filme em língua estrangeira

'Drive My Car', de Ryusuke Hamaguchi (Japão)

Televisão

Melhor série de drama

'Succession'

Melhor série de comédia

'Hacks'

Melhor minissérie ou filme para TV

'The Underground Railroad'

Melhor ator (drama)

Jeremy Strong, por 'Succession'

Melhor atriz (drama)

MJ Rodriguez, por 'Pose'

Melhor ator (comédia)

Jason Sudeikis, por 'Ted Lasso'

Melhor atriz (comédia)

Jean Smart, por 'Hacks'

Melhor ator (minissérie ou filme para a TV)

Michael Keaton, por 'Dopesick'

Melhor atriz (minissérie ou filme para a TV)

Kate Winslet, por 'Mare of Easttown'

Melhor ator coadjuvante

Oh Yeong-su, por 'Round 6'

Melhor atriz coadjuvante

Sarah Snook, por 'Succession'

Pipoca Moderna Pipoca Moderna
Publicidade
Publicidade