PUBLICIDADE

Edgar Vivar comenta imbróglio sobre a volta de 'Chaves' à TV

Em painel nostálgico sobre o seriado mexicano, astro parece otimista sobre o retorno da série para a grade de programação

5 dez 2020 17h11
| atualizado às 17h18
ver comentários
Publicidade

Pela segunda vez na CCXP, mas desta vez virtualmente, o comediante mexicano Edgar Vivar marcou presença na Thunder Arena deste sábado, 05, em um painel super nostálgico que contou curiosidades e boas histórias de Chaves, programa que fez parte da infância de milhares de latino-americanos. 

Edgar Vivar durante sua primeira passagem na CCXP; neste sábado, 05, ator participou de painel especial sobre 'Chaves'
Edgar Vivar durante sua primeira passagem na CCXP; neste sábado, 05, ator participou de painel especial sobre 'Chaves'
Foto: Daniel Sobral / Futura Press

No bate-papo em português, que mesclava um pouco de ‘portunhol’, o astro comentou sobre o imbróglio nas negociações sobre o direito de imagem para a série, que tirou Chaves do ar em 2020 no mundo todo, e pareceu estar otimista para o seu retorno. “Os direitos de transmissão pertencem ao filho do Roberto Gómez Bolaños. Eles não fecharam negócio com a Televisa, e as negociações foram suspensas. Acho que para o próximo ano o Chaves vai voltar, espero que sim”, disse. 

Em clima nostálgico, Edgar relembrou ainda o seu início no seriado e como veio conhecer Roberto Gómez Bolaños, criador do programa e intérprete do Chaves. Disse que o seu Barriga não era um personagem fixo, mas pouco a pouco foi ganhando o seu espaço. Ainda na conversa, o astro elegeu os seus episódios favoritos: o primeiro de todos – “ainda me lembro do primeiro dia em que estive naquela vizinhança”, e o que mostra a viagem de férias a Acapulco

Conhecido por interpretar outros personagens icônicos não só em Chaves, mas também com participações especiais em Chapolin, Edgar falou ainda sobre as dificuldades em interpretar dois papéis diferentes ao mesmo tempo, durante aquele período. “A tecnologia estava atrasada. Era muito complicado fazer os dois personagens ao mesmo tempo. Você tinha que colocar primeiro um, e geralmente era o senhor Barriga. E a gente tinha que falar, e pensar o tempo da resposta do outro. Tínhamos que coordenar as conversas, mas era muito divertido”, garantiu. 

Convidados especiais

Para o painel, Edgar trouxe ainda dois convidados especiais para falar mais sobre os bastidores da série: Carmen Ochoa, ex- produtora e diretora de Chaves e Chapolin, e Ricardo de Pascual, o astro que deu vida ao garçom Carequinha e o Soneca da Branca de Neve. 

Segurando a última marreta do Chapolin, peça original, Carmen falou sobre o clima familiar dos bastidores da série e garantiu que Roberto era o mais rígido. “Quando alguma coisa, pequena, não estava bem feita, todos tinham que repetir tudo de novo, desde o começo. E eu sempre o chamava de Senhor Goméz, mesmo ele sendo meu compadre”. 

 

 

Outro personagem lembrado com carinho foi o Seu Madruga, que era interpretado por Ramón Valdés. Carmen conta que uma das lembranças favoritas que guarda do ator eram os almoços na empresa, durante as gravações. Isso porque depois de todos terminarem a refeição, Ramon sempre se levantava e dizia brincando que o almoço estava pago.  “Ele era muito simpático, transparente”, conta Edgar

Dupla de uma das interações mais lembradas do seriado, com as famosas cobranças de aluguel, Edgar contou ainda que o carinho do público ainda é recebido por manifestações engraçadas quando é reconhecido na rua. “As pessoas chegam e falam que não vão pagar o aluguel, ou se oferecem para pagar pelo seu Madruga”, disse, “e tem ainda os que fizeram os cálculos da dívida dele com o seu Barriga, os meses de aluguel atrasado dariam 120 mil euros hoje em dia”. 

A CCXP Worlds, edição virtual da maior feira de cultura pop do Brasil, será realizada entre os dias 4 e 6 de dezembro. 

Reveja também:

CCXP: as experiências geeks e os lugares instagramáveis:

 

Fonte: Equipe portal
Publicidade
Publicidade