PUBLICIDADE

CCXP 2019: as escolhas artísticas por trás do Aranhaverso

Artista de efeitos visuais conta como a produção do projeto desenvolveu o conceito gráfico do filme vencedor do Oscar

5 dez 2019 17h53
ver comentários
Publicidade
CCXP 2019: as escolhas artísticas por trás do Aranhaverso
CCXP 2019: as escolhas artísticas por trás do Aranhaverso
Foto: Divulgação / PureBreak

Os efeitos visuais da animação "Homem-Aranha: No Aranhaverso" tiveram grande parcela de responsabilidade na vitória do filme na categoria de melhor animação no Oscar deste ano. A concepção artística do filme que, desde o início se propôs a fugir do realismo, foi um dos trunfos do longa, como conta o líder de efeitos especiais da Sony Pictures Imageworks Pav Grochola, em painel na Comic Con Experience, nesta quinta-feira (05).

O artista de efeitos visuais conta que o grande questionamento antes do projeto iniciar, ainda na fase de concepção, foi se havia necessidade de criar mais uma produção audiovisual com o Homem-Aranha. Antes de o cabeça de teia entrar no Universo Cinematográfico da Marvel, alguns filmes do herói não foram bem recebidos pela crítica e pelo público.

Para que o novo projeto desse certo, diz Grochola, a produção do longa colocou como objetivo principal a criação de uma linguagem visual inovadora para que um filme novo do super-herói fosse feito. "Não queríamos nada muito real e nem muito cartunesco", afirma. "Foi nesse momento que começamos a usar as histórias em quadrinhos (HQ's) como nossa principal referência."

As revistas e quadrinhos passaram a ter um peso significativo na construção do universo da animação, principalmente em aspectos gráficos, como a tonalidade das cores, o contraste e as sombras, os contornos e traçados e as onomatopeias. "Tentamos ao máximo não ser escravos do realismo fotográfico e passar uma energia diferente pelo design e as cores", diz Grochola.

A partir dessa mentalidade - de transformar aspectos gráficos das HQ's para o audiovisual por meio de tecnologia -, a equipe de efeitos visuais teve de dar vida à figuras de linguagens das revistas em quadrinhos. "É como se sempre estivéssemos colocando uma pintura em movimento", afirma Grochola. Foi, dessa forma, que o conceito de personagens e do universo foram criados, sem a necessidade de se manter fidedigno ao mundo real.

"Homem-Aranha: No Aranhaverso" estreou no Brasil no dia 10 de janeiro de 2019 e venceu o Oscar na categoria de melhor animação em fevereiro deste ano. A continuação do longa já está em produção e deve chegar aos cinemas brasileiros no dia 22 de abril de 2022.

Veja também:

Sistema prisional é atrasado, lamenta Rodrigo Lombardi:

 

Fonte: Equipe portal
Publicidade
Publicidade