2 eventos ao vivo

The Walking Dead S08E15: Mais uma vez, série segura tudo para o último episódio da temporada

Falta uma semana para aquele que pode ser o fim da guerra.

9 abr 2018
10h02
atualizado às 10h03
  • separator
  • comentários

Entra ano, sai ano, e The Walking Dead continua cometendo os mesmo erros. E o mais grave deles é realizar uma temporada arrastada e acelerar tudo no episódio final. Isso é o que deve acontecer mais uma vez no último capítulo da oitava temporada. Exibido na noite de ontem, o S08E15 pouco desenvolveu a história, repetiu temas e criou situações ridículas. Tudo para segurar a ação principal para o final. Por que não dividir o confronto final em dois episódios? É a pergunta sem resposta.

Foto: AdoroCinema / AdoroCinema

Para não dizer que o capítulo não teve nada de interessante, há de se reconhecer que a dinâmica no Santuário funciona, com Negan voltando e tocando o terror em Simon e Dwight. Ainda que o desfecho tenha sido previsível - com o retorno de uma personagem que não aparecia a tempo -, o conflito interno de Dwight só reforça o quanto esse personagem cresceu. E o bom trabalho de Austin Amelio. Inclusive, o próprio fato dele continuar vivo mostra que a série tem planos maiores para Dwight.


Fora do núcleo dos Salvadores, a coisa foi pior. Rick e Michonne aparecem brevemente, ainda repercutindo as cartas de Carl. Pode até ter um peso emocional, mas já é algo que vem sendo usado de forma muito repetitiva. Em outra frente, Aaron segue com sua patética tentativa de convencimento do grupo Oceanside, que aparentemente consiste em quase morrer de desidratação ou de um ataque de zumbis. É algo pobre em termos de narrativa e desenvolvimento. O pior é saber que isso ainda deve ter uma importância, como uma espécie de Deus ex machina no confronto final.


Chegamos então ao núcleo mais patético do episódio de ontem. E é claro que envolveria Eugene. E Daryl, que bateu recorde de trapalhadas na presente temporada. É impressionante como a série transformou um dos personagens mais fascinantes em um sujeito afoito capaz de ser enganado - ao lado de Rosita - por uma pessoa como Eugene. Por sinal, TWD optou por uma cena escatológica envolvendo Eugene que só torna o personagem (e o roteiro) mais pobre. É difícil acreditar que um time de roteiristas, um diretor, um montador e até os atores acharam que aquele momento seria algo interessante.

Mesmo que venha um último episódio pra lá de empolgante, já é possível dizer que a temporada é decepcionante. E isso fica claro quando vemos os números de audiência da série. Se os produtores continuarem neste ritmo, a produção que parecia destinada a durar por muitos anos, pode acabar com os dias contados. E o pior é que quase ninguém vai lamentar caso isso aconteça.

A série ainda tem força no carisma de seus personagens. Mas como vemos com Daryl, nem isso está imune aos roteiros nada inspirados dos realizadores.

AdoroCinema

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade