0

Johansson comenta polêmica de entrevista sobre diversidade

Atriz foi criticada, novamente, por sua relação com papéis que poderiam ser interpretados por minorias

15 jul 2019
16h24
atualizado às 16h41
  • separator
  • 0
  • comentários

Envolvida em controvérsias nos últimos anos por conta de A Vigilante do Amanhã: Ghost in the Shell, em que ela interpretou uma personagem japonesa, e sua escalação para viver um homem transgênero em Rub & TugScarlett Johansson recebeu novas críticas por comentários que fez em entrevista a revista As If. Porém, dessa vez, a atriz afirma que suas palavras foram distorcidas para gerar cliques.

Foto: Axelle/Bauer-Griffin / Contributor / AdoroCinema

Na entrevista fortemente criticada na internet nos últimos dias, Johansson comenta o que ela chama de "tendência do politicamente correto", sem mencionar diretamente sua saída de Rub & Tug — depois de uma série de ativistas e internautas pedirem que um ator trans fosse escalado para o papel. "Um ator deveria poder interpretar qualquer pessoa, qualquer árvore ou qualquer animal, porque é o que meu trabalho requer. Eu sinto que é uma tendência na indústria, que precisa acontecer por vários motivos sociais, mas as vezes é desconfortável quando afeta a arte, porque arte deveria ser livre de restrições."

No domingo, a atriz contou a Variety que suas palavras não foram exatamente essas: "Uma entrevista recentemente publicada foi editada para fazer click bait e tirada de contexto. A pergunta que eu respondi na minha conversa com o artista contemporâneo, David Salle, era sobre o confronto entre a arte e o politicamente correto. Pessoalmente, eu acredito que em um mundo ideal qualquer ator deveria poder interpretar qualquer pessoa e que arte, em todas as formas, deveria ser imune ao politicamente correto. Era esse o meu ponto, mas não foi transmitido dessa maneira."

Johansson também deixou claro ter conhecimento da diferença de oportunidades dadas a atores de diferentes comunidades: "Na realidade, existe uma discrepância dentro da indústria que favorece atores caucasianos e cis gênero. Nem todo ator foi dado as mesmas oportunidades que eu tive o privilégio de receber. Eu sigo dando apoio, como sempre dei, a diversidade em todas as indústrias e continuarei a lutar por projetos onde todos são incluídos."

No momento gravando o filme solo da Viúva Negra, ainda sem data de estreia confirmada, Scarlett Johansson está prevista para chegar aos cinemas em 30 de janeiro de 2020 com Jojo Rabbit, novo longa dirigido e co-estrelado por Taika Waititi. Enquanto isso, Vingadores: Ultimato segue em cartaz nos cinemas de todo Brasil, agora com mais alguns minutos de material extra.

Reveja também:

O que esperar de Ghost in The Shell

 

AdoroCinema
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade