3 eventos ao vivo

Roteirista de Green Book - O Guia afirma que muçulmanos comemoraram o atentado de 11 de setembro

Nick Vallelonga apoiou a fala de Donald Trump e envolveu o filme protagonizado por Mahershala Ali e Viggo Mortensen em mais uma polêmica.

10 jan 2019
12h05
  • separator
  • comentários

Roteirista e produtor de Green Book - O Guia (e filho de Frank "Tony Lip", o personagem interpretado por Viggo Mortensen), Nick Vallelonga mergulhou o filme vencedor de três Globos de Ouro em uma nova polêmica com uma publicação no Twitter que foi resgatada por usuários da rede.

Foto: AdoroCinema / AdoroCinema

Em novembro de 2015, Vallelonga respondeu a um tuíte de Donald Trump corroborando uma afirmação de que ele havia visto pessoas comemorando o atentado às Torres Gêmeas em 11 de setembro em Jersey City, Nova Jersey.

"Eu vi quando o World Trade Center caiu. E eu assisti em Nova Jersey, onde milhares e milhares de pessoas estavam comemorando enquanto os edifícios iam ao chão", afirmou Trump em um comício em Birmingham, Alabama. "Milhares de pessoas estavam comemorando."

Quando Trump publicou um tuíte alegando que tinha provas, Vallelonga respondeu (via IndieWire): "100% verdade. Muçulmanos em Jersey City estavam comemorando quando as torres caíram. Eu vi, como você viu, provavelmente no noticiário local da CBS.

A afirmação de Trump foi questionada por grandes veículos como o The Washington Post e a New York Magazine, que publicou um artigo em 2017 alegando que a afirmação do presidente era uma farsa. Até a data desta publicação, o Trump não havia conseguido apresentar suas provas, e a porta-voz da Casa Branca Sarah Huckabee Sanders não se pronunciou formalmente sobre o assunto.

Procurada pelo IndieWire, a assessoria de Nick Vallelonga comentou apenas que "o perfil no Twitter foi deletado... acho que não há a necessidade de se comentar nada aqui."


Nick Vallelonga

Dirigido por Peter Farrelly, Green Book - O Guia conta a história real de Tony Lip (Viggo Mortensen), um ítalo-americano intolerante contratado para ser motorista e segurança do pianista Don Shirley (Mahershala Ali), quando este sai em uma turnê no sul dos Estados Unidos em 1962 — durante os anos em que houve o movimento pelos direitos civis dos negros.

O debate ao redor de Green Book começou quando descendentes de Shirley levantaram objeções à forma como a adaptação foi tratada.

"Para a minha família, isso não é um debate e nunca foi. É apenas a verdade. Sabemos a verdade de nosso ente querido", afirmou ao The Hollywood Reporter Yvonne Shirley, sobrinha-neta de Don. "Eles decidiram mostrá-lo distante de sua família negra, mas isso não é verdade. Eles decidiram torná-lo absurdamente desligado de sua comunidade negra e de sua cultura negra, mas isso não é verdade. Eles decidiram apresentá-lo como se tivesse passado seus anos de formação na Europa, mas ele os passou na região mais radical do Sul, onde nasceu e foi criado. Eles decidiram criar uma história de redenção e autorrealização do homem branco, usando uma vida negra extraordinária, e a história de opressão negra como plano de fundo. Grande parte do público está simplesmente exausta dessa narrativa depreciativa."

Green Book - O Guia chega aos cinemas brasileiros em 24 de janeiro. 

AdoroCinema

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade