0

Presidente da Marvel fala sobre as motivações de Thanos em Vingadores: Guerra Infinita

Se Kevin Feige falou, está falado.

8 mar 2018
18h48
  • separator
  • comentários

Não é de hoje que a Marvel enfrenta problemas com seus antagonistas. Frequentemente esquecidos pelo público, os vilões do MCU geralmente querem ou conquistar ou destruir o mundo por motivos que jamais ficam 100% claros em momento algum. Poucos são os malvados, portanto, que ganham o carinho do público - aliás, apenas Loki (Tom Hiddleston), Abutre (Michael Keaton) e Erik Killmonger (Michael B. Jordan) são os únicos que se encaixam de fato nesta categoria. Mas a julgar pelos trailers, imagens e toda a expectativa gerada ao redor de Vingadores: Guerra Infinita, Thanos (Josh Brolin) chegará para melhorar a situação - principalmente por causa de suas motivações:

Foto: AdoroCinema / AdoroCinema

"Ele vem de um planeta chamado Titã que não pode mais ser habitado por causa de eventos que Thanos pensou que poderia ajudar a impedir, e ele não pôde fazer isso. O que ele mais temia, aconteceu, e o planeta e todos que viviam nele foram extintos. Ele jurou nunca mais deixar isso acontecer. Ele acha que vê o universo indo por água abaixo. Ele acredita que vê a vida se expandir sem nenhuma amarra. Isso trará a destruição, segundo a visão dele, para o universo e para a vida", declarou o produtor Kevin Feige, em entrevista à Entertainment Weekly quanto às razões pelas quais o Titã Louco deseja tanto reunir todas as poderosas e místicas Joias do Infinito.

Heróis se unem contra a ameaça de Thanos em novas fotos de Vingadores: Guerra Infinita

De fato, o que faz com que os vilões citados no primeiro parágrafo se destaquem dos demais são as razões pelas quais cometem seus crimes e a crença que os mesmos possuem de que os fins que determinaram para si justificam os meios que utilizam: Loki age (ocasionalmente) por rejeição; o Abutre em busca de retribuição; e Killmonger por procurar justiça. E a julgar pela declaração de Feige, é possível perceber que Thanos jamais agirá de maneira caótica - há lógica em seu planejamento ("para salvar o universo, é preciso destruir a outra metade"), e é justamente isso que o torna tão perigoso. Nos quadrinhos, por exemplo, o personagem interpretado por Josh Brolin - que pode se tornar o Darth Vader de sua geração - é motivado pelo amor: para provar que está apaixonado pela Morte, ele decide destruir os Vingadores e a Terra.

Portanto, ao que tudo indica, Thanos realmente será o antagonista pelo qual os fãs esperam há tanto tempo. A comparação com o pai de Luke Skywalker (Mark Hamill), aliás, não é nada absurda: tanto aquele que um dia foi o jedi Anakin quanto o Titã Louco têm objetivos claros nascidos de razões plausíveis - o único problema é que eles escolhem planos de ação um tanto quanto horrendos, sanguinários e exterminadores, para dizer o mínimo. E aí, ansioso para ver o resultado final de Vingadores: Guerra Infinita? Por sorte, o filme já, já chega aos cinemas brasileiros, no dia 26 de abril.

AdoroCinema

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade