7 eventos ao vivo

Miguel Falabella lê manifesto em defesa do cinema brasileiro

Antes da exibição de "Veneza", seu segundo filme como diretor, Falabella repudiou decisão do governo Bolsonaro

23 ago 2019
11h50
atualizado às 14h58
  • separator
  • 0
  • comentários

Festivais não são apenas espaço para exibir e discutir filmes, mas também para refletir sobre o cinema e suas políticas de incentivo. Em Gramado, desde o primeiro dia o que mais se tem visto é protesto acerca das políticas públicas do governo Bolsonaro, que têm paralisado a Ancine ao ponto de colocar em risco a safra de curtas e longas dos próximos anos, sem falar do dirigismo imposto ao vetar filmes de temática LGBTQ+. Praticamente todos os cineastas, ao subirem no palco do Palácio dos Festivais, fizeram algum protesto do tipo.

Nesta quinta à noite, antes da exibição de "Veneza", o diretor Miguel Falabella leu um manifesto em defesa do cinema brasileiro, assinado pela organização do Festival de Gramado e mais 63 associações e entidades ligadas à área, espalhadas por todo o país.

Foto: Edison Vara/Agência Pressphoto / AdoroCinema

As atrizes Carol Castro, Danielle Winits e Dira Paes, ao lado do diretor Miguel Falabella

"Profissionais e entidades representativas do audiovisual brasileiro vêm se manifestar em apoio à manutenção e fortalecimento das políticas públicas para o desenvolvimento do setor. Apoiamos a permanência e a independência da Ancine, agência responsável pelas políticas públicas de fomento e regulamentação, cada vez mais ativa, livre e desburocratizada com foco no desenvolvimento de uma cinematografia forte, capaz de representar o Brasil em toda sua diversidade.

Apoiamos o Fundo Setorial do Audiovisual, a sua vinculação à Ancine e a nomeação de seu comitê gestor. Os recursos são gerados pelo próprio setor, de forma auto-sustentável. Apoiamos a lei da TV paga, 12.485, pelo seu papel decisivo no crescimento do setor e por facilitar o acesso da população ao conteúdo nacional independente.

Reinvindicamos a renovação da cota de tela, cujo decreto para o ano de 2019 ainda não foi assinado pelo governo brasileiro. Reinvindicamos a renovação do Recine e da Lei do Audiovisual antes de sua expiração, em dezembro deste ano. Apoiamos a regulação do VOD, que precisa estabelecer as bases deste novo mercado e integrar este segmento às políticas de estímulo da produção nacional.

Contestamos a portaria 1.576, de 20 de agosto, que suspende os termos do edital do chamamento das TVs públicas, publicada ontem. Repudiamos qualquer ataque ou quaquer tipo de censura que atente a liberdade de expressão ou fere os princípios constitucionais garantidos pelo artigo 50 da Constituição.

O audiovisual brasileiro vive seu melhor momento, com reconhecido potencial cultural, artístico e econômico, dentro e fora do país. Nossa cadeia produtiva é dinâmica e movimenta mais de R$ 25 bilhões por ano, representando 0,46% do PIB brasileiro. Tem uma taxa de crescimento de 8,8% ao ano e é responsável por mais de 330 mil empregos. Garantir o audiovisual fortalecido e livre é fundamental para a soberania nacional."

Bastante aplaudido, Falabella falou brevemente sobre seu novo filme, Veneza, que integra a competição oficial do Festival de Gramado. Com Carmen Maura, Dira Paes, Eduardo Moscovis, Carol Castro, Danielle Winits e André Mattos no elenco, o filme tem estreia no circuito comercial agendada para 12 de dezembro.

Veja mais:

 

AdoroCinema
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade