0

Louis C.K. responde acusações de assédio sexual: 'É tudo verdade!'

O comediante confessou sua culpa e pediu desculpas pela dor causada nas vítimas e e naqueles ao seu redor.

10 nov 2017
17h20
atualizado às 18h27
  • separator
  • comentários

Nesta sexta-feira (10/11), o comediante Louis C.K. divulgou uma carta aberta para a imprensa norte-americana, assumindo sua culpa nas acusações de assédio sexual feitas por cinco mulheres em matéria publicada pelo jornal The New York Times. Além de confessar que todas as histórias são verdadeiras, ele admite estar arrependido de tais ocasiões e sente muito pela dor que causou.

Foto: Getty Images / AdoroCinema

Desde tal polêmica, a distribuidora The Orchard decidiu adiar, por tempo indeterminado, o lançamento de I Love You, Daddy - novo filme de Louis C.K. que ainda tem John Malkovich e Chlöe Grace Moretz no elenco. Ao mesmo tempo, HBO e Netflix também cancelaram especiais de stand-up estrelados pelo comediante.

Confira a tradução da carta completa abaixo:

"Eu quero falar sobre as histórias contadas pelo The New York Times sobre as cinco mulheres, Abby, Rebecca, Dana, Julia, que tiveram goragem de revelar seus nomes, e aquela que não o fez.

Essas histórias são verdadeiras. Naquela época, eu dizia para mim mesmo que estava tudo bem naquilo que fiz, pois nunca mostrei meu pênis para uma mulher sem perguntar antes, o que é verdade. Mas o que aprendi depois na vida, tarde demais, é que quando você tem poder sobre outra pessoa, perguntá-la para olhar para seu pênis não é uma pergunta. É um dilema. O poder que tive sobre essas mulheres era que elas me admiravam. E usei esse poder de forma irresponsável. Me arrependo de minhas decisões. Tentei aprender com elas. E correr delas. Agora, estou ciente das consequências das minhas ações. Aprendi ontem que aquilo deixou aquelas mulheres se sentindo mal sobre si mesmas e com medo de outros homens que nunca as colocariam nessa posição.

Também tirei vantagem do fato que sou admirado em nossas comunidades, o que impediu que elas compartilhassem suas histórias e trouxe dificuldades quando tentaram, pois as pessoas não queriam ouvir aquilo. Eu não pensei que estava fazendo tudo isso, pois minha posição me permite não pensar.

Não consigo me perdoar em nada disso. E tenho que reconciliá-lo com quem eu sou. O que não é nada comparado com a tarefa que deixei pra elas. Eu queria ter respondido tal admiração por mim sendo um bom homem e dando orientações como comediante, inclusive porque admiro seus trabalhos.

O maior arrependimento com o qual terei que viver é de machucar outra pessoa. E mal posso entender quanta dor trouxe para elas. Seria negligente não falar na dor que trouxe para todas as pessoas com qual trabalhei, cujas vidas pessoais e profissionais foram impactadas por isso. Inclusive projetos atualmente em produção: as equipes de Better Things, Baskets, The Cops, One Mississippi e I Love You, Daddy. Me arrependo que isso trouxe atenção negativa para meu empresário, Dave Becky, que só tentou mediar uma situação que eu causei. Trouxe angústia e dificuldades para o pessoal da FX que me apoiou tanto, para The Orchard que apostou em meu filme e em todos que me ajudaram ao longo dos anos. Trouxe dor para minha família, amigos, minhas filhas e a mãe delas.

Passei minha longa e sortuda carreira falando tudo que queria. Agora, vou parar e escutar.

Obrigada por ler."

AdoroCinema

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade