2 eventos ao vivo

Festival Varilux de Cinema Francês 2019: Os filmes preferidos da redação do AdoroCinema (até agora)

Os principais destaques entre as produções francesas.

13 jun 2019
11h02
  • separator
  • 0
  • comentários

O Festival Varilux de Cinema Francês chega à sua metade, com sessões que se estendem até o dia 19 de junho por 80 cidades brasileiras. Mas o AdoroCinema já teve a oportunidade de assistir a quase todos os filmes exibidos, e deixa abaixo algumas sugestões de títulos para te ajudar a planejar a próxima ida ao cinema!

Foto: AdoroCinema / AdoroCinema

Lembramos que todas as informações sobre os filmes, horários e cinemas participantes se encontram na página oficial do evento.



Um Homem Fiel

A excelente comédia dirigida pelo também ator Louis Garrel brinca com os códigos das comédias românticas através da história de um homem abandonado pela namorada, mas que reata com ela anos mais tarde:

"O filme adota uma aura de conto de inverno, como fazia Rohmer em sua época. Os diálogos são cuidadosamente equilibrados com instantes de silêncio, o ritmo é tão contemplativo quanto ágil ao longo de sucintos 75 minutos. [...] O roteiro coloca homens e mulheres em pé de igualdade, aposta na autonomia do prazer feminino tanto quanto numa virilidade desconstruída". Leia a crítica completa.



A Revolução em Paris

Autor de diversos filmes políticos, Pierre Schoeller volta ao fim do século XVIII para representar a Revolução Francesa pelo ponto de vista dos cidadãos anônimos, incluindo provavelmente o elenco mais estrelado das produções do Varilux este ano:

"Pela coragem e pela beleza das imagens, o projeto se sobressai facilmente em meio a tantas recriações supostamente objetivas sobre uma 'verdade histórica'. Além disso, estabelece um comentário importante sobre o que resta de participação popular na política contemporânea". Leia a crítica completa.



Através do Fogo

Neste drama, Pierre Niney interpreta um bombeiro corajoso, que fica desfigurado pelas queimaduras sofridas durante um resgate. O filme privilegia o período de reconstrução do protagonista após o trauma:

"A atuação de Pierre Niney é um diferencial para que as pretensões do roteiro sejam bem executadas, principalmente no segundo ato do longa, quando tudo que se vê de Franck é o olhar, que transita entre a raiva e a dor com maestria, e se distancia completamente do homem doce e gentil do primeiro ato". Leia a crítica completa. 



Quem Você Pensa que Sou

Juliette Binoche estrela esta mistura de drama e suspense sobre uma escritora que se apaixona por um garoto muito mais novo (François Civil) pela Internet. O problema é que eles jamais se encontraram, e o rapaz acredita estar conversando com uma mulher muito mais nova, já que a protagonista mantém um perfil falso nas redes sociais.

"O filme começa a brincar com a noção de ficção: qual seria o problema em criar uma versão fictícia de si mesma se criamos versões de nossas próprias histórias na literatura, por exemplo? A escritora, enquanto artista, não seria equivalente da mulher criadora de seu avatar-personagem? O roteiro compara habilmente as narrativas virtuais com as narrativas literárias, percebendo o mundo virtual enquanto ato de criação". Leia a crítica completa.

AdoroCinema
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade