3 eventos ao vivo

Emma Watson fala sobre os assédios que sofreu em Hollywood

A atriz é uma das principais ativistas da indústria pelos direitos das mulheres.

11 jan 2018
15h38
atualizado às 16h55
  • separator
  • comentários

Emma Watson é uma das mais atuantes ativistas pelos direitos das mulheres dentro da indústria cinematográfica. Palestrante frequente de inúmeros eventos e figura importante do movimento, a eterna Hermione e protagonista da versão live-action de A Bela e a Fera iniciou uma bem-sucedida carreira como promotora da igualdade entre os gêneros e do empoderamento feminino. Mas como a recente onda de testemunhos de vítimas de assédios sexuais em Hollywood bem demonstrou ao mundo após derrubar predadores sexuais como Harvey Weinstein e James Toback, nenhuma mulher - incluindo Watson - passou incólume à tóxica cultura da indústria cinematográfica:

Foto: Jesse Grant / AdoroCinema

"Sofri todo tipo de assédios. Mas, para mim, o que é inacreditável é que minhas experiências não são únicas. As experiências das minhas amigas não são únicas. As das minhas colegas não são únicas. Esta questão é sistêmica, estrutural. As estatísticas, mesmo no Reino Unido, são que muitas, muitas, muitas mulheres, entre as idades de 18 e 24 anos, afirmam que sofreram assédios nos locais de trabalho [...] Você percebe, se você falar com a maioria das mulheres, que elas já sofreram assédios, que têm uma história com isso. Estamos revelando as coisas. Só estamos arranhando a superfície dessa questão, o que é muito perturbador", declarou Emma Watson, em entrevista à Variety - confira abaixo.

Assim como muitas outras atrizes e profissionais de Hollywood, Watson compareceu à cerimônia do Globo de Ouro - cuja principal temática, ressaltada pelo emocionante discurso de Oprah Winfrey, foi justamente o movimento atual das mulheres contra os abusos sexuais - acompanhada por uma importante ativista: Marai Larasi, diretora executiva do Imkaan, uma organização dedicada à combater a violência contra mulheres e jovens negras ou não-brancas. A ativista, através de seu Twitter, realçou a importância da união feminina -  as mulheres que quebraram o silêncio foram as personalidades do ano da revista Time - contra os crimes dos predadores sexuais:

"Este foi um momento inesquecível... mulheres se unindo para dizer juntas #TIMESUP [Basta] 'A resistência é o segredo da alegria' ~ Alice Walker. Este sem dúvidas foi um momento de alegria".

 

AdoroCinema

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade