2 eventos ao vivo

É possível fugir dos spoilers de Game of Thrones? (Análise)

Eles estão em todos os lugares.

14 abr 2019
09h14
  • separator
  • 0
  • comentários

Em época de Game of Thrones, a internet se divide em dois lados: aqueles sedentos por discutir cada mínimo detalhe de cada episódio, e aqueles cujo principal objetivo é fugir dos spoilers. Existe um terceiro time, das pessoas que não assistem à série. Sobre o que (e com quem) elas conversam neste período é um mistério.

Foto: Helen Sloan/HBO / AdoroCinema

Kati Critica: A arte de não ligar para Game of Thrones

Isso porque nem todos conseguem assistir ao episódio em sua primeira exibição, no domingo à noite. Existem os que se reúnem na casa de amigos ou em bares, e existem os que deixam para assistir ao episódio na segunda-feira mesmo, depois do hype. Nestes casos, será que adianta reclamar que as pessoas na internet não falam de outro assunto?

Game of Thrones é um fenômeno como nunca se viu na história do entretenimento. Jamais uma produção feita para as telinhas foi tão vista, tão debatida, quebrou tantos recordes, fez tanto volume ou gastou tanto dinheiro. É óbvio que vimos outras séries que marcaram a televisão, de I Love Lucy a Breaking Bad, passando por Twin Peaks e Lost. Mas nenhuma delas lidou com as redes sociais como elas existem atualmente. Na época de Breaking Bad, o Instagram não havia feito milhares de pessoas acreditarem em um festival nas Bahamas que jamais existiu.


"Esta é a nossa última semana para discutir sobre política antes de ficarmos todos obcecados com Game of Thrones."

Por isso, as seis semanas que começam no dia 14 de abril e se encerram no dia 19 de maio de 2019 serão provavelmente a maior comoção pública em torno de uma série de que se tem registro até agora. E como fugir disso?

Já disse a jornalista Kim Renfro, em seu Twitter: "Game of Thrones é o Super Bowl, mas por seis semanas seguidas. Se você não assistir ao jogo ao vivo, você vai acordar de manhã e ver o placar/ouvir o que aconteceu. É inevitável."

Game of Thrones: Rose Leslie parou de falar com Kit Harington por causa de spoiler do final da série

É claro que há maneiras de fugir dos spoilers, por mais que estas não sejam necessariamente 100% eficientes. Nas redes sociais, é possível silenciar hashtags ou aqueles perfis que você sabe que vão comentar os episódios. Existem plugins de navegadores que bloqueiam conteúdos tagueados com o assunto. Mas nem tudo tem tag. E nada disso funciona na vida real, com os colegas de trabalho, de escola ou nos grupos de WhatsApp.

Afinal de contas, já chegaram a pichar um spoiler de Star Wars - O Despertar da Força nos muros do Rio de Janeiro. 


Talvez fãs de Game of Thrones tenham algo a aprender com Joe e Anthony Russo, os diretores de Vingadores: Guerra Infinita e de Vingadores: Ultimato. No ano passado, antes da estreia de Guerra Infinita, a dupla publicou uma carta pedindo aos fãs que não dessem spoiler do filme nas redes sociais: 

"Todos os envolvidos no filme trabalharam muito duro nos últimos dois anos, mantendo o mais alto nível de sigilo. Apenas poucas pessoas conhecem totalmente o seu roteiro", escreveram à época.

"Estamos pedindo para que vocês mantenham este mesmo nível de sigilo quando assistirem a Guerra Infinita nos próximos meses, para que todos os fãs possam ter a mesma experiência quando virem o filme pela primeira vez. Não o estraguem para os outros, da mesma forma que não gostariam que o estragassem para vocês."

É claro que as pessoas não mantiveram o sigilo por meses, mas era possível passar pelas redes sociais no primeiro fim de semana de estreia sem descobrir que metade do filme virava pó no final. Depois de um tempo, é claro, a história toda virou meme e passou a ser praticamente inaceitável reclamar de spoiler de Guerra Infinita. Afinal de contas, spoiler prescreve, sim!


"Quem é o seu personagem favorito de Guerra Infinita?"

Para Vingadores: Ultimato, a campanha anti-spoiler também já começou. A hashtag da vez é #DontSpoiltheEndgame ("não dê spoiler do Ultimato"), estampada em camisas distribuídas para a imprensa durante a campanha de divulgação do filme. A vigilância está tão pesada que teve até gente do elenco que sequer recebeu o roteiro.  

Mas Game of Thrones não é Vingadores, e isso por um simples motivo: as pessoas não estão assistindo a Vingadores com o celular na mão prontas para comentar nas redes sociais minuto a minuto. Para Game of Thrones, no entanto, esta é quase a regra. Quem está em casa vendo o episódio sozinho ou com alguns amigos provavelmente quer entrar no Twitter, no Instagram ou no Facebook e saber o que outras pessoas pensam sobre o capítulo. Opinar sobre isso, aliás, é parte do trabalho de muita gente.

A questão é que não é exatamente impossível não receber spoiler de Game of Thrones, mas é preciso ter a consciência de que parte do público estará comentando nas redes sociais feito locomotiva desgovernada durante seis domingos seguidos. Jornais e veículos de entretenimento vão tratar do assunto com prioridade. Game of Thrones vai dividir espaço e disputar atenção do público apenas com Vingadores: Ultimato, que já quebrou recordes antes mesmo de estrear e trata-se da conclusão de uma história com 22 filmes. Portanto, a máxima vale para os dois produtos: a internet vai virar um campo minado de informações que você talvez não queira receber. Por isso, cuidado. 

Mas também cabe, nessa história toda, o bom e velho bom senso: se na oitava e última temporada da série mais popular da televisão, você ainda não aprendeu que não é uma boa ideia entrar na internet no domingo à noite se você não estiver assistindo ao episódio, então, bem... conselho de amiga? Ainda dá tempo de desconectar. 

AdoroCinema
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade