0

Comic-Con 2018: Novidades e nostalgias marcam painéis de Better Call Saul e Breaking Bad

Universo criado por Vince Gilligan foi destaque na San Diego Comic-Con 2018.

20 jul 2018
10h39
  • separator
  • comentários

Better Call Saul não tem muito a cara de Comic-Con. Tanto que ganhou seu primeiro painel este ano, mesmo já estando há três anos no ar. Para conquistar este espaço de destaque, contou com a ajuda da série antecessora passada no mesmo universo: Breaking Bad.

Foto: Kevin Winter/Getty Images / AdoroCinema

Encerrada em 2013 após cinco temporadas de muito sucesso, Breaking Bad completou 10 anos recentemente, o que fez com que os organizadores da SDCC tivessem interesse em realizar um reunion super especial.

Assim, nasceu um painel duplo que dividiu espaço com as duas séries. Primeiramente, foi a vez da equipe de BCS entrar no palco e falar sobre a quarta temporada, que retorna no próximo dia 6 de agosto, na AMC. Se seguir o padrão dos anos anteriores, a série será exibida no dia seguinte, no Brasil, na Netflix. Durante o painel, o criador Vince Gilligan falou que a proximidade com BB está cada vez mais evidente. Por sua vez, o produtor Peter Gould deu dicas de que mais participações especiais irão acontecer, deixando o público bastante animado. O novo ano de BCStambém irá explorar o vilão Lalo, citado por Saul em sua primeira cena em BB.

A fala sobre participações especiais deixou a dúvida: será que finalmente veremos Walt ou Jesse aparecendo no spin-off. E a resposta só foi dada no painel de Breaking Bad, e não deve animar os fãs. "Não gostamos de enrolar ninguém, então Walt e Jesse não irão aparecer na quarta temporada de Better Call Saul. Mas acho difícil acreditar que não irão aparecer antes que a série acabe", revelou Gilligan.


Apesar da notícia ruim, o painel de 10 anos de Breaking Bad foi repleto de momentos divertidos, mostrando um elenco ainda em total sintonia, mesmo afastados há cinco anos. As estrelas, é claro, foram Bryan Cranston e Aaron Paul. Nosso Jesse, por sinal, entrou no palco acompanhado da filha bebê fantasiada com o clássico uniforme amarelo de produção de metanfetamina.

Paul revelou ter sido vítima de pegadinhas constantes de Cranston. Certa vez, o veterano o abraçou longamente e disse: "Você leu o roteiro? Sinto muito." Indo embora na sequência. Outra vez, chegou a perguntar para Paul se ele já tinha ido medir seu caixão, pois tinha um funcionário da série o procurando para isso.

E o motivo de Aaron sempre cair nessas pegadinhas é um: seu personagem estava previsto para morrer logo no início da série. "Íamos matar o Jesse no final da 1ª temporada, ele tinha cumprido seu propósito de introduzir o Walt àquele universo. A 2ª temporada seria Walt lidando com isso. Mas logo no início já percebi que tínhamos que mantê-lo", confessou o criador.

Ao final, perguntado se era um ator do método, se mantendo no personagem o tempo todo, Bryan deliciou o público ao responder: "Sim! Fiquei no personagem o tempo todo. Saía e praticava assassinar pessoas. Voltava para o set sabendo como funcionava. E com o passar do tempo comecei a gostar." 

AdoroCinema

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade