4 eventos ao vivo

Big Little Lies 2x07: A mentira é a amizade

Leia nossa crítica de "I Want to Know", com spoilers sobre o final da 2ª temporada de Big Little Lies.

22 jul 2019
00h46
atualizado às 01h16
  • separator
  • 0
  • comentários

Já dizia a filosofa contemporânea Pitty: quem não tem teto de vidro, que atire a primeira pedra!

Foto: AdoroCinema / AdoroCinema

Depois de muita antecipação e causar ódio em praticamente todo morador de Monterey, chegou a vez de Mary Louise (Meryl Streep) sentar no bando das testemunhas em Big Little Lies. E Celeste (Nicole Kidman) não estava errada quando comentou que saberia arrancar a melhor reação possível da sogra. Afinal, ela também conhece sobre o passado da família Wright, relembrando a morte do irmão de Perry (Alexander Skarsgård), além de contar com o apoio de Jane (Shailene Woodley) para falar sobre o lado agressivo do falecido.

Num show de interpretação que foi praticamente a final de Super Bowl que todo seriador sonhou na vida, Celeste nunca apareceu tão confiante e digna em seu perfil de advogada (que vimos brevemente na primeira temporada), sabendo questionar exatamente se Mary Louise pode considerada uma boa mãe para ter direitos de criticar a nora. Por sua vez, a personagem de Streep teve seus tropeços, mas ainda mantendo sua forte opinião cheia de alfinetadas. O momento decisivo veio mesmo quando a ruiva mostrou um vídeo que encontrou no ipad dos filhos, uma prova física do abuso sofrido nas mãos de Perry. Se Kidman fez um lindo trabalho mostrando sua vulnerabilidade e tentando se manter sensata, foi impressionante ver a fachada de Mary Louise se despedaçando, ao perceber o lado sombrio que não conhecia do próprio filho. É algo devastador, para ambos os lados, sem falar nas reações de Madeleine (Reese Witherspoon), Renata (Laura Dern), Jane e Bonnie (Zoë Kravitz) com tais imagens.

Mais devastador ainda foi ver Mary Louise desesperada, surgindo na porta da casa de Celeste, durante a noite, indignada pelas "mentiras" contadas pela nora. Se o julgamento já não tinha garantido as indicações de ambas ao Emmy, essa diálogo fez o truque:

- Espero que você não esteja viva para enterrar seus filhos, Celeste, pois você nem estaria de pé!
- Você perdeu os seus filhos e não vai pegar os meus!


No dia seguinte, Mary Louise começa um discurso sobre como ela realmente não sabia do lado agressivo de Perry. Mas quando você pensa que seria o início de sua redenção... Pensou errado! Ah Meryl, sua rainha da atuação. Ela usa esse mesmo argumento para atacar o lado doentio de Celeste — que, por sua vez, deixa claro como fez de tudo para manter Max (Nicholas Crovetti) e Josh (Cameron Crovetti) vivos (e a si mesma) em uma situação extrema. Felizmente, a juíza decide a favor da integrante das Cinco de Monterey, com uma série de exigências, é claro. O último vislumbre de Mary Louise é seu carro saindo da cidade, desolada em ver o banco de trás do carro vazio. Ela saiu ainda mais solitária do que chegou e, por mais que tenha procurado, é triste de ver.

Mas como vida de fã de Big Little Lies nunca é alegria e simpatia; a vida dá outra rasteira em uma das Cinco de Monterey. Depois de ter acordado e pedido perdão para filha, Elizabeth (Crystal Fox) morre e deixa Bonnie (ainda mais) desolada, principalmente quando ela fez as pazes com a senhora, dizendo que a ama antes de partir (e não a sufocou com o travesseiro, como todos os fãs temiam). Dizem que nos momentos de dor, nossa clareza fica ofuscada, mas essa não é a situação da jovem. Ela aproveita o momento para deixar tudo as claras com Nathan (James Tupper), falando como nunca o amou - ou seja, praticamente, um pedido de divórcio bem direto. Também toma outra decisão, mas falaremos disso em breve.


Enquanto apoiava Celeste em seu julgamento, Madeleine ainda ficava apreensiva, observando como Ed (Adam Scott) está mais dedicado ao boxe? Uma forma física de fugir da tentação que foi Tori (Sarah Sokolovic)? Só sabemos que isso também parece clarear a cabeça do moço. Numa conversa franca com a esposa, ele relembra como os dois não faziam ideia do que tinham prometido quando se casaram, então está na hora deles renovarem seus votos, agora com total compreensão de onde estão se enfiando, como um novo recomeço. Ok, essa foi uma reviravolta inesperada, mas não infeliz, com direito a casamento íntimo na praia, apenas com o casal, Abgail (Kathryn Newton) e Chloe (Darby Camp). A festa gigante planejada por Madeleine ia ser mais cheia de babados, mas ainda foi belo. Ambos aceitam que o amor é mais forte que suas imperfeições, numa mensagem otimista que precisamos nos dias atuais, não é mesmo?

Por falar em amor, Jane reencontra Corey (Douglas Smith) e diz para ele ser livre e se divertir, não se envolver com alguém tão complicado. Só que o moço prefere ficar perto de quem realmente se conecta. Dica: é um nome com quatro letras e tem o mesmo rosto da Tris de Divergente. Os dois trocam um beijo apaixonado e tem um encontro romântico depois, onde a jovem se sente feliz o suficiente para fazer sexo. Um boy magia que não é embuste, já é um bônus da segunda temporada de BLL.

Finalmente, temos Renata chegando em sua casa vazia, prestes a ser vendida. Só que percebe que o quarto de jogos de  Gordon (Jeffrey Nordling)  segue intacto, pois ele conseguiu vender para um colecionador que não está preocupado com posse, só com qualidade. Ou seja, o cara levou a família a falência e tem direito de manter suas coisas, enquanto a executiva perdeu tudo e ainda era traída. Nós, fãs de Big Little Lies, já sabíamos que a moça não ia deixar a situação quieta. Mas quando o marido responde que "precisa de algo para brincar, pois a babá foi embora", ela tem uma resposta digna: sai quebrando tudo com um taco, chegando até a bater no marido, de forma acidental, porém merecida. Só que, graças a interpretação de Laura Dern, está claro que esse não é só mais um ataque histérico da personagem. É seu aguardado berro em busca de liberdade, finalmente se afastando de quem lhe fez mal, depois de ter que ver sua vida desabar por algo que não tem culpa.

"Sem mais mentiras", ela declara, já dando uma dica do que vem por aí.


Ao som da versão de Willie Nelson e Paula Nelson de "Have You Ever Seen the Rain", a série recapitula o status das Cinco de Monterey: Madeleine e Ed juntos; Jane e Corey também; Celeste deletando os videos de Perry e sorrindo com os filhos; Renata abraçando Amabella (Ivy George) e falando que ficará tudo bem; enquanto uma serena Bonnie toma a fatídica decisão, mandando uma mensagem para as outras protagonistas. A música mesmo já conta que "existe a calmaria antes da tempestade".

Bonnie chega na porta da delegacia, mas percebe que não entrará sozinha. Madeleine, Celeste, Jane e Renata estão lá para apoiá-la.  Nenhuma delas traiu o movimento. Juntas, elas contarão a verdade sobre a única mentira que compartilham — aquela que uniu esta amizade — depois de desfazerem as pequenas mentiras individuais de cada uma. É um final poético e perfeito. Dá gancho para uma possível terceira temporada? Claro. Mas também encerra o arco que deu o pontapé inicial dessa história toda. Agora, as Cinco de Monterey estão prontas para fechar esse capítulo em suas vidas.

Durante essas duas temporadas de Big Little Lies, todo espectador criou seus próprios julgamentos sobre as protagonistas da série, assim como elas mesmas fizeram sobre si mesmas. Mas é assistindo um episódio como tal finale que nos leva a pensar duas vezes, sobre como julgamos e tratamos os outros. A verdade é que ninguém sabe o que o outro passa.


Melhor frase: Esse episódio teve grandes momentos, como o diálogo ressaltado no texto acima ou o título desta crítica, mas a mensagem que merece ser ensinada nas escolas mundiais é o desabafo de Renata Klein. "Você deveria mostrar um pouco mais de respeito para uma mulher!"

Hinos do episódio: Créditos finais com "Piece of My Heart", de Janis Joplin, foi perfeito; mas o prêmio vai para "Have You Ever Seen The Rain" — o "Can't Always Get What You Want" dessa temporada.

Número de gritos histéricos na temporada: Nosso contador quebrou depois de tantos gritos de Renata quebrando tudo. Vamos arredondar a conta total em 10, ok?

Considerações finais:
- Mary Louise falando que ia levar o café da Renata, pois as duas iam para o mesmo lugar, depois de gerar um ataque de fúria nela, foi impagável.
- "Eu fui mais poderosa que Mulher-Maravilha e Hulk juntos"
- O que foi a fofura de Celeste falando para os filhos darem um abraço em Mary Louise após o fim do julgamento?
- "I Want to Know", título do episódio, é um frase que também faz parte da letra de "Have You Ever Seen the Rain". <3
- Não basta ser o Young Sheldon, Ziggy (Iain Armitage) virou conselheiro amoroso. Chloe é DJ. Josh e Max são cineastas mirins... Tem algo que essas crianças de Big Little Lies não consigam fazer?
- Tenha uma amizade tão bela quanto a de Madeleine e Celeste. Só que sem mortes, por favor.

AdoroCinema
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade