1 evento ao vivo

Após descobrirem temática contra o aborto, atores abandonam filme

Diretores são acusados de mentir para os profissionais e esconder polêmico roteiro pró-vida.

14 jul 2018
08h36
  • separator
  • comentários

Atores e membros da equipe do novo filme de Nick Loeb e Cathy Allyn estão abandonando as filmagens por se sentirem enganados em relação ao conteúdo abordado no longa. Muitos deles só descobriram a real mensagem da trama quando chegaram ao set e receberam, pela primeira vez, o polêmico roteiro que condena a prática do aborto nos Estados Unidos. Esse fato incomodou grande parte dos profissionais que concordaram em participar da produção, dando início a uma onda de demissões voluntárias (e não muito amigáveis).

Foto: Getty Images / AdoroCinema

Intitulado de Roe v. Wade, a obra ilustra a batalha judicial, realizada no ano de 1973, que garantiu o direito ao aborto em todas as clínicas familiares nos Estados Unidos. Embora retrate uma conquista histórica para as mulheres americanas, o roteiro é baseado em um discurso pró-vida, contrário à decisão judicial vencedora. Inicialmente Nick e Cathy eram responsáveis apenas pelo script e pela produção, mas a pessoa contratada para dirigir o longa desistiu assim que as filmagens foram iniciadas, em junho. Mesmo sem nenhuma experiência prévia na função, os dois tiveram que assumir a direção do filme para garantir a execução do projeto.


Nick Loeb, diretor de Roe v. Wade

Segundo o site The Daily Beast, ex-membros da equipe comentaram que "quando as pessoas finalmente recebiam o roteiro, elas desistiam na hora. Depois desses acontecimentos, eles [Nick e Cathy] decidiram não enviar para mais ninguém. Ao invés disso, mudam as falas e as cenas um pouco antes de gravar." Stephen Baldwin e Kevin Sorbo foram alguns dos profissionais que abdicaram do projeto quando perceberam o real foco do trama. "Eles não tinham a menor ideia do que estavam fazendo, eles só recebiam suas falas quando chegavam ao set", contou a fonte.

Além disso, as filmagens vêm sendo canceladas em boa parte das locações. Segundo relatos também divulgados pelo The Daily Beast, os responsáveis pela Universidade de Tulane, que concentra grande parte das cenas, vetaram todas as atividades na instituição depois que descobriram a verdadeira mensagem por trás de Roe v. Wade. O mesmo aconteceu em uma sinagoga que estava sendo utilizada como base pela equipe. O próprio Loeb confirmou ao The Hollywood Reporter que todos foram expulsos abruptamente. A polícia teve que ser acionada para que pudessem recuperar os seus pertences.

Por outro lado, há quem esteja satisfeito em participar do longa. Atores conservadores como Jon Voight, pai da atriz Angelina Jolie, e Robert Davi interpretarão dois juízes da Suprema Corte, enquanto Corbin Bernsen, John Schneider, Steve Guttenberg, William Forsythe, Wade Williams e Richard Portnow assumem papéis secundários. A atriz Stacey Dash, conhecida pela sua participação em As Patricinhas de Beverly Hills e integrante do Partido Republicano, também faz parte do elenco.

Não é a primeira vez que Nick Loeb ganha destaque por assuntos polêmicos. Em 2015, um ano após o término do seu relacionamento com Sofia Vergara, estrela da série Modern Family, Loeb solicitou a custódia de dois embriões da atriz, que foram fecundados pelo seu esperma e depois congelados, na Califórnia. No entanto, em 2013, o ex-casal assinou um contrato que impedia que qualquer decisão em relação aos embriões fosse tomada sem a aprovação de ambos. Sendo assim, Loeb saiu derrotado, mas continua lutando pela vida de Emma e Isabella, nomes dados por ele aos embriões em questão.

Roe vs. Wade tem previsão de lançamento para janeiro de 2019.

AdoroCinema

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade