1 evento ao vivo

Anthony Carrigan explica por que Barry é a comédia ideal para o tempo difícil em que vivemos (Exclusivo)

Uma história sobre os prazeres e dificuldades de ser artista.

16 abr 2018
09h35
atualizado às 10h11
  • separator
  • comentários

A HBO apresentou este ano uma comédia ousada: Barry, trama sobre um assassino de aluguel (Bill Hader) que descobre a sua vocação para a carreira de ator. Enquanto ele continua matando pessoas para pagar as contas, tenta melhorar suas habilidades dramáticas. A trama improvável é conduzida por um ótimo elenco cômico: além de Hader, o grupo inclui Sarah Goldberg (Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge), Henry Winkler (Parks and Recreation), Stephen Root (Newsradio) e Anthony Carrigan (Gotham). O AdoroCinema conversou com exclusividade com Carrigan sobre o papel de NoHo Hank, um mafioso que recorre aos serviços de Barry, apenas para se ver frustrado ao descobrir que toda a dedicação do profissional está voltada às aulas de teatro. Carrigan durante a estreia de Barry Um papel "fantástico" "Eu fiz uma promessa para mim mesmo, não só para não desistir, mas para prometer que conseguiria um papel muito fantástico que iria mudar minha vida completamente e, honestamente, eu não poderia estar mais grato por interpretar um personagem como Noho Hank", afirma o ator, geralmente ligado aos suspenses policiais (The Forgotten, Law and Order) e séries de super-heróis (Gotham, The Flash). Ele conta como se preparou para esta experiência cômica: "Uma das coisas foi fazer uma lista da gratidão, com todas as pessoas que eu sou grato por ter, eu assisti a muitos filmes de ação dos anos 1980. Eu também criei uma trilha sonora muito específica para esse personagem que me ajudaram a entrar nele". Bill Hader em Barry Trabalhando com Bill Hader O experiente humorista de Saturday Night Live tem sido um bom parceiro para Carrigan: "Eu sei que o Bill tem um histórico de medo do palco, e eu também sinto um pouco de medo do palco. Durante as gravações eu ficava nervoso em algumas cenas, ansioso e retraído, e o Bill, conhecendo essa sensação, foi automaticamente falar comigo: 'Todos nós amamos você, você consegue, nós podemos passar o dia todo aqui se você precisar. Você é muito bom, não se preocupe!'. Ele disse isso para acalmar minha mente e meu coração. Foi a melhor experiência trabalhar com o Bill". Mesmo em tom de paródia, Barry também reflete as dificuldades de ser ator profissional: "A série é definitivamente uma comédia, mas ela faz um ótimo trabalho em mostrar que a natureza do mercado artístico é muito complicada. Por outro lado, é uma profissão capaz de unir as pessoas umas com as outras, de uma forma que mais nada no mundo consegue. Barry gera um sentimento de comunidade e de pertencimento, faz com que as pessoas entendam os motivos para se tornar um artista", completa o intérprete de NoHo. via GIPHY Em tempos difíceis, a solução é rir Carrigan ressalta as surpresas da série, e aponta a comédia como remédio perfeito para os tempos sombrios na política norte-americana: "Barry brinca com as expectativas do público. Você realmente espera que algo vá acontecer de um jeito, mas acontece de uma forma completamente diferente. É uma energia muito espontânea que surpreende o público. A história envolve a questão de crises existenciais muito bem através da mistura de comédia e drama". "São tempos muito difíceis, a opinião política está muito dividida. Agora é a melhor hora para as pessoas se unirem e rirem. Por isso que eu acho ótimo ter uma comédia em exibição agora, algo que funciona como uma fuga temporária do que está acontecendo nos jornais. Por isso que eu acredito que a arte é mais importante agora do que nunca", conclui.

Foto: AdoroCinema / AdoroCinema

AdoroCinema

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade