PUBLICIDADE

'A Última Floresta' mostra resistência do povo yanomami

Escrito por Luiz Bolognesi e pelo xamã Davi Kopenawa, documentário retrata o cotidiano de uma comunidade indígena isolada

8 set 2021 16h04
ver comentários
Publicidade

Após retratar a evangelização de comunidades indígenas em seu último filme, Ex-pajé, o cineasta Luiz Bolognesi decidiu trazer agora às telonas uma história de resistência. Para dirigir A Última Floresta, que estreia nesta quinta-feira (9), o diretor passou 10 dias ao lado de um grupo Yanomami isolado, que vive em um território ao norte do Brasil e ao sul da Venezuela há mais de mil anos.

O xamã Davi  Kopenawa luta para preservar as tradições do povo Yanomami
O xamã Davi Kopenawa luta para preservar as tradições do povo Yanomami
Foto: Pedro J Márquez/Gullane e Buriti Filmes

No documentário, o xamã Davi  Kopenawa  Yanomami  busca proteger as tradições de sua comunidade e contá-las para o homem branco. Enquanto ele tenta manter vivos os espíritos da floresta, os indígenas lutam para que a lei seja cumprida e os invasores do garimpo sejam retirados do território legalmente demarcado. Mais de 10 mil garimpeiros ilegais invadiram o local em 2020, derrubando a floresta, envenenando os rios e espalhando Covid e outras doenças.

"Neste filme, queria registrar as aldeias que estão resistindo à evangelização, à agressão do capitalismo, e mantendo seu modo ancestral de viver, como os Yanomami. Após ler o livro 'A queda do céu', do xamã Davi Kopenawa, o convidei para escrever o roteiro comigo. Foi uma das experiências mais mágicas da minha vida", conta Bolognesi.

Além das situações cotidianas da aldeia, o diretor e sua equipe tentaram filmar os sonhos dos indígenas, já que, para eles, o que sonhamos é tão real quanto o que vivemos. Para isso, os próprios indígenas interpretaram os personagens da história. Segundo Bolognesi, eles também quiseram contar a lenda de Omama e Yoasi, dois irmãos que, segundo os Yanomami, são os deuses que criaram a floresta e o seu povo.

Filme conta a lenda a lenda de Omama e Yoasi, deuses que criaram a floresta
Filme conta a lenda a lenda de Omama e Yoasi, deuses que criaram a floresta
Foto: Pedro J Márquez/Gullane e Buriti Filmes

"Esses três níveis de realidade indígena - o que acontece de dia, a realidade dos sonhos e as histórias verdadeiras, que são os mitos - são trançados na dramaturgia desse roteiro. Então meu trabalho de roteirista foi costurar essas tramas fantásticas que eles trouxeram", explica.

No último dia 1 de setembro, o filme teve uma sessão especial na comunidade Watoriki, onde foi rodado, com a presença de Bolognesi, Kopenawa e o produtor Caio Gullane.  "A sessão na comunidade de Watoriki, no coração da floresta onde rodamos o filme, foi uma das exibições mais mágicas da minha vida. Foi muito forte e intenso porque os Yanomami estavam vendo cinema pela primeira vez e era a história deles. Eles foram o único público que não precisou assistir ao filme com legenda", lembra Bolognesi.

Exibição de 'A Última Floresta' na comunidade Watoriki, onde o filme foi rodado
Exibição de 'A Última Floresta' na comunidade Watoriki, onde o filme foi rodado
Foto: Marcos Amend/Divulgação

Para ele, o lançamento do filme é muito importante neste momento do Brasil, onde se discute o Marco Temporal, que definirá o futuro das demarcações de terra no país, e o PL 490, tramitando no Congresso, que pode retirar direitos dessa população. "O filme está sendo lançado no auge desse debate não apenas por uma coincidência, mas porque os espíritos da floresta disseram que agora era a hora do filme sair", conta o diretor.

O Terra conversou com Bolognesi sobre os bastidores do filme, o desenvolvimento do roteiro e a situação atual dos povos indígenas no Brasil. Confira no vídeo!

A Última Floresta mostra resistência do povo yanomami:

 

Fonte: Equipe portal
Publicidade
Publicidade