0

'A Barraca do Beijo 2' promete ser sucesso ainda maior que o original

Filme acompanha a adolescente Lee Flynn tentando conciliar seus relacionamentos de amor e amizade

30 jul 2020
05h12
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Como O Poderoso Chefão: Parte II e Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo! provam, cada um, é raro, porém não impossível, que uma sequência seja ainda mais popular que o filme que a precedeu. A Barraca do Beijo 2, lançado na sexta-feira na Netflix, é o mais novo filme a se juntar a essa classe de elite.

Para aqueles que preferem não ver o original, uma rápida recapitulação: A Barraca do Beijo mostra Elle Evans (Joey King), uma adolescente de Los Angeles que arrisca sua amizade com o colega Lee Flynn (Joel Courtney) ao se apaixonar pelo irmão mais velho dele, o rebelde Noah (Jacob Elordi). Elle e Lee seguem à risca um conjunto de regras que criaram quando crianças, uma delas é nunca namorar parentes do outro. Eles brigam quando Lee descobre o romance ilícito, o que leva Noah e Elle a se separarem por um curto período. Até que, um tempo depois, todo mundo faz as pazes.

A sequência começa com Elle e Lee no terceiro ano do ensino médio e o primeiro ano de faculdade de Noah. Elle, mais uma vez, luta para conciliar seus relacionamentos com cada um dos irmãos Flynn: ela deve ir atrás do sonho compartilhado com Lee de frequentar a Universidade da Califórnia em Berkeley ou se inscrever para tentar ingressar na Universidade Harvard e ficar perto de Noah? O ciúme de Elle e a lembrança constante do passado playboy de Noah balançam seu relacionamento de longa distância. Entra em cena Marco (Taylor Zakhar Perez), seu atraente parceiro na competição de dança.

Enquanto a barraca do beijo novamente tem um papel importante na trama - em ambos os filmes, Elle e Lee concorrem em uma arrecadação de fundos para a escola - mudanças notáveis sugerem que os corroteristas Jay Arnold e Vince Marcello (que também dirigiu) responderam às críticas ao filme de 2018. A raiva de Noah e seu comportamento com tendências quase abusivas desapareceu e foi substituído por saudades de casa e, segundo o que ele diz a Elle, por uma lealdade inabalável.

Se A Barraca do Beijo 2 pode ser visto, os espectadores devem agradecer a Elle, pois Joey continua sendo o componente mais forte de uma franquia que, francamente, pode estar abaixo do nível dela. A atriz, que ganhou uma indicação ao Emmy no ano passado por interpretar Gypsy Rose Blanchard na minissérie da Hulu The Act, dá o seu melhor para viver uma garota excêntrica, contribuindo com uma vivacidade que explica por que todo garoto na escola cai apaixonado por Elle. Courtney e Elordi não têm muito o que fazer, mas Elordi, da aclamada série da HBO Euphoria, também dá um tom trágico ao seu retorno.

O filme dura 132 minutos, o que é desnecessário, mas é compreensível para a Netflix. A distribuidora não joga segundo as regras e provavelmente considerará A Barraca do Beijo 2 um sucesso entre seu panteão de comédias românticas, apoiando a reivindicação com métricas que contam dois minutos de streaming como uma visualização. (Para ser justo, o primeiro filme, apesar de duramente criticado, provavelmente teve um bom desempenho, se os seguidores das mídias sociais dos jovens atores forem alguma indicação).

E assim nos preparamos para mais. A Netflix ainda não divulgou quando será o lançamento do próximo filme, mas o final da sequência e seu sucesso quase garantido sugerem que ela está pronta para um terceiro. Só podemos esperar que, dado o padrão estabelecido, seja melhor do que O Poderoso Chefão: Parte III. / TRADUÇÃO DE ROMINA CÁCIA

Veja também:

Ex chora ao lembrar relação com Depp: "Detalhes traumáticos"
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade