1 evento ao vivo
Logo do Carnaval do Rio de Janeiro
Foto: Alessandro Buzas / Futura Press

Carnaval do Rio de Janeiro

Jungmann e Pezão descartam Forças Armadas no Carnaval carioca

12 jan 2018
14h41
atualizado às 14h49
  • separator
  • comentários

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, e o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (MDB), descartaram nesta sexta-feria a possibilidade de uso das Forças Armadas na segurança do Carnaval de 2018 no Rio de Janeiro, frustrando a prefeitura da capital fluminense que desejava o apoio.

Governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, durante reunião em Brasília
13/02/2017 REUTERS/Adriano Machado
Governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, durante reunião em Brasília 13/02/2017 REUTERS/Adriano Machado
Foto: Reuters

Embora o prefeito do Rio, Marcelo Crivella (PRB), tenha feito uma solicitação informal ao presidente Michel Temer, de acordo com a legislação, um pedido dessa natureza tem que ser encaminhado pelo governo do Estado ao governo federal. Pezão declarou que não fará o pedido e avaliou que não há necessidade desse apoio, pois o Rio está acostumado a fazer grandes eventos, como foi o caso do Reveillon, sem a presença de tropas federais.

"Ele (Crivella) falou comigo hoje de manhã e não falou nada disso. E achamos que não há necessidade", disse Pezão a jornalistas ao frisar que vai "comprar" folgas dos policiais do Rio para reforçar o efeitivo durante a folia da cidade.

A prefeitura estima que a cidade vai receber ao menos 6 milhões de pessoas no Carnaval, sendo 1,5 milhão de fora do país.

Jungmann acrescentou que não há um descontrole no Rio que justifique envio de tropas e que uma medida como essa poderia abrir um precedente para que outras cidades, que também reúnem muita gente no Carnaval, solicitassem apoio.

"Não identifico necessidade, porque o governador está recuperando a questão salarial, incorporando novos efetivos e fazendo um grande esforço para melhorar resultados. Não há descontrole nem desordem", afirmou Jungmann.

"Se fôssemos dar apoio a prefeitos e prefeituras, o que é justa preocupação, como ficaria a nossa posição diante de Salvador, Recife, Olinda, Natal, Fortaleza, que também tem grandes Carnavais?", acrescentou.

Jungmann, Pezão e os ministros Torquato Jardim (Justiça), Sergio Etchegoyen (Gabinete de Segurança Institucional) e Osmar Terra (Desenvolvimento Social), se reuniram nesta sexta no Palácio Guanabara onde assinaram um protocolo de atuação para as Forças Armadas no Estado até o fim do ano.

Veja também:

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade