PUBLICIDADE

Trem de luxo 'Dolce Vita' oferecerá rota para redescobrir Itália

Lançamento de projeto contou com a presença da prefeita de Roma

15 jun 2021 17h11
| atualizado às 17h53
ver comentários
Publicidade

As empresas italianas Arsenale e Trenitalia apresentaram nesta terça-feira (15) um projeto de turismo ferroviário no qual trens de luxo oferecem um itinerário para o passageiro redescobrir as belezas da Itália.

Batizada de "Dolce Vita", a ideia foi lançada na estação Ostiense de Roma, na presença, entre outros, dos ministros do Turismo, Massimo Garavaglia, e do Desenvolvimento Econômico, Giancarlo Giorgetti, além da prefeita de Roma, Virginia Raggi.

O projeto ofertará um deslocamento "lento" e sustentável a bordo de um transporte luxuoso para explorar as regiões do país mais conhecidas e os destinos menos frequentados. A expectativa é de que o serviço seja inaugurado em janeiro de 2023.

"É um projeto que valoriza Roma e o turismo em nosso país", disse Raggi, enfatizando que "o trem Dolce Vita é um nome que lembra Roma e todo o imaginário do nosso país e de Roma no mundo".

O plano prevê o funcionamento de cinco trens e 10 rotas icônicas - em viagens de uma a três noites -, cruzando 14 regiões e passando por 128 cidades, por meio de 16 mil quilômetros de linhas ferroviárias transitáveis, sendo que 7 mil não são eletrificadas. Os percursos, de fato, vão desde os picos alpinos às praias cristalinas da Sicília.

Os trens vão contar com 20 suítes e 12 cabines de luxo, totalizando 32 leitos cada um. A capacidade total será de 64 passageiros, com o objetivo de transportar 74 mil passageiros até 2026.

"É um trem projetado não para chegar a um destino, mas como uma experiência das férias propriamente ditas", explicou o diretor-geral da Fundação FS Italiane, Luigi Cantamessa.

O desenho dos vagões foi confiado ao Dimorestudio, um dos mais importantes estúdios italianos de design de interiores, que se baseou nas linhas de mestres como Gio Ponti e Carlo Scarpa, além de Lucio Fontana e Enrico Castellani.

A decoração interior se concentrará no "made in Italy", com detalhes em couro da Úmbria, vidros de Murano personalizados, tecidos toscanos, banheiros em mármore Carrara, madeiras trentinas e serviços tecnológicos feitos por empresas lombardas e emilianas.

Já os serviços de bordo vão incluir um cardápio para valorizar os chefs italianos e os produtos típicos locais.

"Este trem é uma homenagem à Itália, à beleza e à singularidade do nosso território, às suas excelências até à comida e a boa mesa serão os pilares da nossa oferta", explicou o CEO da Arsenale, empresa que atua no setor hoteleiro, Paolo Barletta.

Para o executivo, "a Itália é uma experiência 360 graus e é precisamente da experiência que devemos recomeçar para uma oferta integrada e completa".

O CEO da Trenitalia, Luigi Corradi, por sua vez, afirmou que o projeto "é um exemplo de que quando a Itália se une" é possível "fazer coisas bonitas".

"O Trem Dolce Vita representa tudo o que precisamos fazer nos próximos meses. Gostaria que este ano os turistas viajassem de trem e, por isso, temos feito um importante esforço de apoio ao turismo", finalizou Corradi.

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade