PUBLICIDADE

Setor de casamentos na Itália deve 'renascer' em 2022

'Wedding Tourism' foi duramente afetado por pandemia de Covid-19

6 mai 2022 14h25
| atualizado às 14h55
ver comentários
Publicidade

Um novo estudo divulgado na Itália aponta que 2022 será o ano do "renascimento" do setor de casamentos no país, um dos destinos mais procurados por casais de todo o mundo, segundo o Osservatorio Destination Wedding Tourism da JFC.

Casamentos na Itália devem ter alta em 2022, aponta estudo
Casamentos na Itália devem ter alta em 2022, aponta estudo
Foto: WikimediaCommons/Damionmower / Ansa - Brasil

E esse crescimento deve acontecer mesmo com a guerra na Ucrânia iniciada pela Rússia (Moscou representava 3,5% do market share antes da pandemia de Covid-19 e era um das nações com maior índice de crescimento ao lado da Ucrânia) e mesmo com os problemas das viagens aéreas ainda em pouca quantidade entre Itália e países como China, Índia e Brasil.

Isso porque os casais dos outros países europeus devem continuar a marcar presença, bem como canadenses e norte-americanos, muitos dos quais remarcaram a data para poder concretizar o matrimônio nas cidades italianas.

"As previsões apontam que o período entre abril/setembro tem indicadores positivos se comparadas com o mesmo período de 2021, trazendo um fim de ano com um faturamento três vezes maior do que o do ano passado, estimado em 273 milhões de euros", disse o CEO da JFC, Massimo Feruzzi.

Os dados previstos para 2022 ainda incluem a estimativa de mais de um milhão de visitas para casamentos (alta de 255% em relação a 2021 e queda de 41,4% na comparação com 2019, antes da pandemia). Já o faturamento de 273 milhões de euros será 337% superior a 2021 e 44% menor que 2019.

Ainda conforme a JFC, as previsões apontam que as variações nas estimativas serão apenas "positivas", no caso do fim do conflito rápido na Ucrânia. Além disso, os próprios italianos vão preencher esses "buracos" deixados pelas visitas internacionais: eles casarão em seu país, mas não na cidade onde vivem.

Entre as principais tendências para o setor neste ano, estão as reservas de espaços mais completos e mais privativos, sendo usados apenas pelos noivos e por seus convidados nos dias de evento. E também como um efeito da pandemia, os pedidos por cerimônias ao ar livre aumentaram intensamente.

Entre os destinos mais solicitados pelos noivos para as empresas, estão a praia mais "instagramável" da Itália - Lama Monachile em Polignano a Mare -, e as cerimônias no icônico Rifugio Averau, em Cortina d'Ampezzo.

Já as celebrações nas pequenas cidades continuam a serem desejadas, por serem locais em que é possível passar um fim de semana completo em estruturas exclusivas e retiradas, como no Palazzo em Arcevia, nas Marcas, ou em Città Sant'Angelo, em Abruzzo. Outros optam por eventos mais exclusivos, em locais de grandes marcas italianas, como Ferrari e Ducati, ou ainda alugam trens históricos para os eventos.

Há também uma grande volta em locais-símbolo do romantismo e dos casamentos, de Veneza a Verona, de Florença à Costa Amalfitana até o Lago de Como e a Cinque Terre - que está sem data disponível até outubro deste ano. .
   

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade