PUBLICIDADE

Parque Arqueológico de Pompeia registra furto de peça de mármore

Tampa de bueiro branca tinha cerca de 20cm e estava em domus

6 out 2021 11h56
| atualizado às 12h05
ver comentários
Publicidade

Uma tampa de bueiro de mármore foi furtada do Parque Arqueológico de Pompeia, na Itália, informou a administração do local nesta quarta-feira (6). A peça tinha cerca de 20 centímetros de diâmetro e estava localizada dentro da "Domus di Sirico", que foi reaberta ao público recentemente após uma grande restauração.

Peça roubada tinha cerca de 20cm e ficava na Domus di Sirico
Peça roubada tinha cerca de 20cm e ficava na Domus di Sirico
Foto: ANSA / Ansa - Brasil

Apesar da informação ter sido divulgada nesta quarta, os investigadores da polícia local apontam que o crime ocorreu entre os dias 30 de setembro e 4 de outubro.

"A direção do Parque denunciou imediatamente o furto às forças de ordem e as verificações estão em andamento por meio da estrutura de vigilância interna por vídeo, que estão reconstruindo o ocorrido. Esperamos que nos forneçam elementos para a recuperação da peça", disse em nota o diretor do Parque, Gabriel Zuchtriegel.

O representante confirmou que os funcionários deram a falta da peça no dia 4 de outubro e que, rapidamente, informaram a direção e os policiais.

A "Domus di Sirico" ainda passa por um processo de restauração, mas foi parcialmente reaberta ao público em 26 de agosto - juntamente com a Casa dell'Efebo. A própria tampa do bueiro tinha recebido um reforço com canos metálicos para permanecer no lugar.

O furto de peças em Pompeia não é novidade. Em 2019, uma turista britânica foi presa em flagrante por subtrair peças de um mosaico. Um ano antes, dois franceses tentaram roubar pedaços de mármore e barro do local.

No entanto, muitos turistas conseguem pegar pequenas peças e levá-las embora sem que seja notado na hora, dada a extensão de todo o Parque Arqueológico.

Em outubro do ano passado, uma turista canadense arrependida enviou de volta cinco relíquias roubadas no Parque há mais de 15 anos. Segundo a autora, identificada apenas como Nicole, as peças "levaram azar" para sua família.

Em fevereiro de 2021, outro caso semelhante. Um turista, que não se identificou, enviou um fragmento de rosto de argila roubado há 50 anos com um pedido de desculpas. .
   

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade