PUBLICIDADE

Extrema pobreza tira comida e o teto no país

No Simplão do Corre desta segunda-feira (18), Roberta Camargo fala sobre o problema da miséria e insuficiência habitacional no Brasil

18 jul 2022 - 16h10
Ver comentários
Extrema pobreza tira comida e o teto no país:

Dia desses, estava caminhando pelo centro da cidade aqui em São Paulo e me assustei com a dura realidade que enfrentamos: o aumento da população que vive nas ruas. Quando as manchetes trazem alarmantes dizendo que só no primeiro semestre cerca de 27 mil pessoas deixaram de ter um teto para viver, a gente se assusta, mas só entende a dimensão do problema quando o enxerga.

Aqui no Simplão, já conversamos sobre políticas habitacionais, a precariedade e os riscos que a falta de acesso à moradia digna oferece, assim como sobre as questões econômicas que interferem na qualidade de vida e na garantia de direitos básico da população, como saúde, educação e, é claro, moradia. 

Além dos dados disponibilizados pelo Ministério da Cidadania, que é atualizado através do cadastro no CadÚnico, conversei com a Vanessa Mendonça, parte do movimento Luta Popular. Por conviver de perto com a luta de quem vive em busca de um lar, ela chama atenção para os despejos, que aumentaram 333% desde o início da pandemia aqui no Brasil. Pensando em soluções a médio e longo prazo, ela defende a importância da participação política: “esse tema deveria ser bandeira, pauta de todos os candidatos”.

A conversa de hoje é para entender como funciona a atuação das diferentes esferas da sociedade diante dessa realidade. Da coleta de dados, passando pela manutenção e o suporte para quem vive nas ruas, até a criação e adaptação de políticas públicas que interfiram para mudar este cenário. Com consciência sobre o que está acontecendo e como podemos atuar para fazer a diferença diante disso, seguimos. Bora para esse papo? 

 

Fonte: Redação Terra
Publicidade
Publicidade