PUBLICIDADE

Tipos de DisplayPort | Conheça as versões e qual cabo escolher

Conexão dedicada a monitores, o DisplayPort possui uma variedade de versões — confira quais são e entenda qual cabo escolher para a sua configuração

16 jun 2024 - 17h03
(atualizado em 17/6/2024 às 19h33)
Compartilhar
Exibir comentários

O DisplayPort é uma das opções de conexão digital para transmissão de áudio e vídeo com um único cabo para monitores. A solução é pensada principalmente para computadores, e possui algumas vantagens e desvantagens quando comparado ao seu rival, o bastante popular HDMI, incluindo os mecanismos de encaixe e o limite na velocidade em sua versão mais recente, o DisplayPort 2.1.

Foto: Renan da Silva Dores/Canaltech / Canaltech

Assim como o HDMI, o DisplayPort (ou DP) possui uma série de formatos de conexão, mas com aplicações diferentes, incluindo conexões diretas com painéis e até protocolos de transmissão sem fio. Neste artigo, o Canaltech vai mostrar todas as variantes do DP, além de trazer dicas de pontos importantes que você deve ficar de olho na hora de comprar um cabo DisplayPort.

Tipos de DisplayPort

O protocolo DisplayPort foi proposto em 2006 pela Video Electronics Standards Association (VESA), consórcio de grandes empresas de eletrônicos responsável pelos principais padrões de tecnologias relacionadas a monitores e displays. A ideia era oferecer um substituto para o DVI que utilizasse apenas um cabo para transmitir imagem e som de alta definição.

Apesar do objetivo similar ao do HDMI, o DP tem como principal vantagem para as fabricantes a ausência da cobrança de royalties, o que torna a sua implementação menos custosa. O padrão também possui mecanismos que proporcionam vantagens aos usuários — mesmo com HDMI 2.1, certos monitores só oferecem a máxima taxa de atualização com altas resoluções através do DisplayPort.

No total, temos oito métodos de implementação do DP em um dispositivo, dos quais dois são mais comuns. Há ainda uma terceira variação que tem ganhado popularidade, tendo o potencial de assumir o posto de alternativa mais comum. São elas:

DisplayPort

A conexão tradicional do DisplayPort lembra bastante o HDMI, mas possui um formato menos simétrico, com um corte diagonal no canto superior direito para garantir que o usuário conecte-o da forma correta. São usados 20 pinos para a transferência dos dados, e há uma trava no encaixe, impedindo que o cabo seja removido por acidente. Suas dimensões são de 16,1 x 4,6 x 8,9 mm.

O cabo DisplayPort foi desenvolvido com PCs em mente, tendo entre suas características únicas a trava de encaixe, a maior largura de banda e mais (Imagem: Victor Carvalho/Canaltech)
O cabo DisplayPort foi desenvolvido com PCs em mente, tendo entre suas características únicas a trava de encaixe, a maior largura de banda e mais (Imagem: Victor Carvalho/Canaltech)
Foto: Canaltech

Também não há compatibilidade direta com o HDMI ou mesmo o antigo DVI — geralmente, é preciso adquirir um adaptador ativo (alimentado por energia) para realizar a conversão. Dito isso, é possível usar adaptadores passivos (sem uso de energia), mas apenas se a fonte (monitor, PC) tiver suporte ao Modo Duplo, indicado pelo logo do DisplayPort com dois sinais positivos (++). No entanto, a função não é muito comum.

Mini DisplayPort

O Mini DisplayPort é uma versão menor do conector que mantém os 20 pinos para comunicação, mas reduz o tamanho da porta de forma drástica, atingindo dimensões de 7,5 x 4,6 x 5 mm, e deixando de utilizar a trava mecânica para fixação.

Esse formato foi idealizado pela Apple e lançado em 2008 nos MacBooks e no Cinema Display, um dos antigos monitores profissionais da empresa, entrando para o protocolo DisplayPort oficial da VESA em 2010.

Desenvolvido pela Apple em 2008, o Mini DisplayPort mantém os recursos do DisplayPort tradicional, mas é bem mais compacto (Imagem: Victor Carvalho/Canaltech)
Desenvolvido pela Apple em 2008, o Mini DisplayPort mantém os recursos do DisplayPort tradicional, mas é bem mais compacto (Imagem: Victor Carvalho/Canaltech)
Foto: Canaltech

Outro ponto interessante é que uma versão ainda mais compacta, o Micro DisplayPort, chegou a ser estudada e planejada para ser lançada em 2014, mas acabou não saindo do papel.

Ainda é possível encontrar o Mini DisplayPort em algumas câmeras profissionais e notebooks gamer de alto desempenho, mas esse tipo de conexão tem perdido cada vez mais espaço para o USB-C.

Embedded DisplayPort (eDP)

O Embedded DisplayPort é uma variante da conexão dedicada a sistemas embarcados (embedded), otimizado para manter os recursos, mas reduzir o consumo de energia. A solução é bastante usada em notebooks, para ligar a GPU dedicada com o monitor integrado do aparelho.

Internal DisplayPort (iDP)

O Internal DisplayPort (iDP) tem aplicação e funcionamento similar ao eDP, mas é voltado para TVs, o que também resulta em um protocolo mais simples que perde alguns recursos, como o suporte a múltiplos streams e canal AUX para áudio.

Portable Device Media Interface (PDMI)

O Portable Device Media Interface (PDMI) foi desenvolvido para dispositivos de consumo de mídia, incluindo smartphones e tablets, e era embarcado com sinal DisplayPort para transmissão de áudio e vídeo, além de conexão USB. Foi usado em um número muito limitado de aparelhos e acabou em desuso.

Mobility DisplayPort (MyDP)

Também pensado para celulares, o Mobility DisplayPort (MyDP) também possuía a intenção de garantir saída de vídeo de alta qualidade, e chegou a ser usado em alguns smartphones da LG e até do Google, como o Nexus 4. Assim como o PDMI, acabou em desuso com o tempo.

Wireless DisplayPort (wDP)

O Wireless DisplayPort (wDP) foi resultado de uma parceria com a Wi-Fi Alliance, o consórcio responsável por regular os padrões do Wi-Fi, e integra o WiGig, solução de rede sem fio que trabalha com frequência altíssima (60 GHz) buscando combinar várias tecnologias e "eliminar os cabos do PC". A ideia não vingou, e assim como muito dos formatos de DP, deu espaço para o USB-C.

USB-C

O protocolo que estabelece as especificações das portas USB-C possui os recursos para habilitar a transmissão de sinal de áudio e vídeo usando o padrão DisplayPort.

A especificação das portas USB-C possui sinal DisplayPort opcional, e há a possibilidade de vermos esse formato se tornar o mais popular (Imagem: Ivo Meneghel Jr/Canaltech)
A especificação das portas USB-C possui sinal DisplayPort opcional, e há a possibilidade de vermos esse formato se tornar o mais popular (Imagem: Ivo Meneghel Jr/Canaltech)
Foto: Canaltech

Considerando a versatilidade dessas portas e a popularidade que vêm ganhando nos últimos anos, o USB-C tem potencial de substituir boa parte dos formatos de DisplayPort padrão, ao menos em notebooks e outros dispositivos móveis.

No entanto, é preciso destacar que nem todas as portas USB-C possuem o chamado "DisplayPort Alternate Mode" — é preciso confirmar na lista de especificações do seu notebook, smartphone ou outro aparelho se há compatibilidade com a função.

Dicas para escolher o cabo

Atenção na hora de comprar um cabo DisplayPort — é preciso verificar o tamanho e a compatibilidade do acessório com recursos modernos (Imagem: Divulgação/VESA)
Atenção na hora de comprar um cabo DisplayPort — é preciso verificar o tamanho e a compatibilidade do acessório com recursos modernos (Imagem: Divulgação/VESA)
Foto: Canaltech

Na hora de escolher um cabo para o seu setup, é preciso prestar atenção a alguns aspectos, começando pelas capacidades de transferência. Não basta que seu monitor e seu computador tenham portas DisplayPort 2.1 para tirar proveito dos melhores recursos da conexão — o cabo também precisa ser compatível.

Verifique se há na caixa do acessório indicações a respeito das taxas de transferência, ou selos que deixem esse aspecto claro. A própria VESA havia disponibilizado marcações como "DP40", "DP80", "UHBR10" e "UHBR20" para simbolizar com mais facilidade a velocidade máxima dos cabos.

Preste atenção ainda à extensão, especialmente se você pretende manter a tela e o aparelho (console, computador) em grandes distâncias. Assim como outras conexões, cabos muito longos podem gerar perdas de velocidade, sendo dessa forma necessário comprar modelos mais robustos (e caros).

Trending no Canaltech:

Canaltech
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade